Quatro distritos do Norte do país sob aviso amarelo devido à agitação marítima

Quatro distritos do Norte do país sob aviso amarelo devido à agitação marítima
| País
Porto Canal/Agências

A Marinha e a Autoridade Marítima alertam esta quarta-feira a população e a comunidade marítima para estarem vigilantes em relação ao estado do mar, que vai sofrer um agravamento, com ondulação a poder alcançar 13 metros, a partir de quinta-feira.

Em comunicado, as duas autoridades indicam que a previsão do estado do vento e do mar aponta para um agravamento das condições meteorológicas e de agitação marítima na costa ocidental de Portugal continental, entre as 12h00 de quinta-feira e as 0h00 de domingo.

A Marinha e a Autoridade Marítima pedem que se evitem os passeios junto ao mar, a prática de atividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima e que a amarração das embarcações atracadas seja reforçada.

A agitação marítima será caracterizada por ondulação proveniente de Noroeste, com uma altura significativa que poderá atingir os sete metros e uma altura máxima de 13 metros e o vento poderá registar uma intensidade média até a 56 quilómetros por hora (km/h) e rajadas até os 101km/h, é referido.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sete distritos do continente sob aviso amarelo e depois laranja, a partir da tarde de sexta-feira, devido à previsão de agitação marítima.

Os distritos do Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga vão estar primeiro sob aviso amarelo entre as 15h00 de sexta-feira e as 0h00 de sábado.

Estes distritos passam depois a aviso laranja entre as 0h00 e as 7h00 de sábado.

+ notícias: País

Diretor-executivo do SNS apresenta demissão

A direção-executiva do Serviço Nacional da Saúde (SNS), liderada por Fernando Araújo, apresentou, na tarde desta terça-feira, a demissão. 

Confira a chave do Euromilhões desta terça-feira

Já são conhecidos os números que compõem a combinação vencedora do sorteio desta terça-feira.

Fernando Araújo diz que fez em 15 meses "a maior reforma do SNS" em 45 anos

O diretor-executivo do Serviço Nacional de Saúde (SNS), que anunciou esta terça-feira, a sua demissão, assegurou que, nos 15 meses em que esteve em funções, foi realizada a maior reforma de organização em 45 anos de existência do SNS.