Quase 20% dos jovens sofreu violência sexual no namoro, aponta estudo

Quase 20% dos jovens sofreu violência sexual no namoro, aponta estudo
| País
Porto Canal/Agências

Quase 20% dos jovens que respondeu a um estudo nacional sobre violência no namoro sofreu violência sexual, revelou esta quarta-feira a União das Mulheres Alternativa e Resposta, indicando que se registou um aumento em relação ao ano passado.

O estudo nacional sobre violência no namoro, realizado pela União das Mulheres Alternativa e Resposta e apresentado no Porto, teve uma amostra de 6.152 jovens, com idade média de 15 anos e a frequentar entre o 7.º e o 12.º ano, que responderam a um conjunto de questões, agrupadas em seis categorias de forma de violência: controlo, psicológica, através das redes sociais, perseguição, sexual e física.

Em relação à vitimação, o estudo mostra que se registou apenas um único comportamento abusivo, que foi o da violência sexual em que se observou um aumento percentual de um ano para o outro.

Segundo a amostra, 18,5% (726) dos jovens reportou que já sofreu violência sexual numa relação de intimidade, enquanto no ano passado foi 14,9% (589) de jovens.

Uma das coordenadoras do estudo, Maria José Magalhães, salientou que “o resultado mais surpreendente neste inquérito foi o da violência sexual”, em que quase um quinto das jovens afirmaram que já foram alvo de violência sexual e de controlo.

A responsável considerou que há um “longo percurso a fazer” para a prevenção destes comportamentos ao longo da vida.

Segundo o estudo, a violência psicológica, de controlo e através das redes sociais são os comportamentos mais reportados por adolescentes e jovens.

Em conferência de imprensa, as responsáveis pelo trabalho, Maria José Magalhães, Margarida Pacheco e Margarida Alves, referiram que 45,5% (1.791) dos jovens admitiram ter vivenciado uma situação de controlo por parte do parceiro - 47,1%, (1.037) das raparigas, 43,2% (723) dos rapazes e 57,5%% (23) dos que têm outras identidades de género.

À exceção da violência física, notam-se maiores percentagens nos indicadores de vitimação entre jovens que se identificam com o género feminino, quando comparadas com o género masculino.

As pessoas que se identificaram com outros géneros reportaram, em geral, percentagens mais elevadas no que respeita aos indicadores de vitimação, o que segundo as autoras deste estudo “leva a uma importante reflexão sobre as experiências de violência vivida por grupos sociais com características identitárias não normativas”.

Do total de jovens que indicou uma relação de namoro, 20,4% disseram ter sido vítimas de perseguição, 20,7% de violência através das redes sociais, 18,5% de violência sexual e 11% de violência física.

No que refere à legitimação da violência no namoro, cerca de 68% dos jovens não percecionam como violência no namoro pelo menos um dos quinze comportamentos questionados.

O género masculino apresenta maiores níveis de legitimação para todas as formas de violência no namoro, comparando ao género feminino.

Comparando os resultados do atual estudo com o realizado no ano passado, verifica-se um aumento na legitimação de comportamentos de controlo, perseguição e violência física.

Este trabalho foi desenvolvido no âmbito do projeto ART’THEMIS+ (Jovens Protagonistas na Prevenção da Violência e na Igualdade de Género), com recurso à aplicação de um questionário sobre violência no namoro aprovado pelo Ministério da Educação.

Da amostra total de jovens (6.152), 54,1% eram raparigas, 44,3% eram rapazes, 1,1% de outras identidades (inclui pessoas não binárias, género neutro, género fluído, terceiro género e ‘queer’, entre outros) e 0,5% não responderam.

+ notícias: País

MB Way "em baixo". Transferências e pagamentos com dificuldades

Ao longo da manhã desta terça-feira, os utilizadores de MB Way estão a sentir dificuldades em utilizar a aplicação para fazer transferências e/ou pagamentos. A informação está a ser avançada pelo Jornal de Notícias que, após ter contactado a Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS), fala em alguns “constrangimentos técnicos”.

Número de atropelamentos aumentou em março

A PSP detetou uma média de 510 infrações rodoviárias por dia em março, mês em que desceu o número de acidentes e feridos ligeiros, mas aumentaram os feridos graves e os atropelamentos comparativamente a março de 2023.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".