Suíços e alemães criam "hub" tecnológico no Porto e vão recrutar dezenas de engenheiros

Suíços e alemães criam "hub" tecnológico no Porto e vão recrutar dezenas de engenheiros
| Porto
Porto Canal

O ambiente vibrante do Porto, o seu sucesso recente nas diversas áreas tecnológicas e o facto de estar rodeado por várias universidades de renome que foram jovens altamente qualificados são alguns dos fatores determinaram a escolha da cidade para receber o novo 'tech hub' que vai ter o nome de Xelerate Markant Services International Portugal. Quem o diz é Mark Michaelis, diretor-executivo da Markant, uma empresa de serviços para o retalho e indústria, numa entrevista ao Jornal de Negócios.

Na edição desta segunda-feira, o Negócios dá nota da nova parceria entre a luso-alemã 'Xelerate.tech' e a suíça Markant Services International.

A aceleradora de empresas com sede no Porto vem, desde 2021, a auxiliar a captar e instalar empresas tecnológicas estrangeiras na Invicta. De acordo com o CEO do grupo helvético, este novo centro no Porto estará focado no "desenvolvimento de produtos de software invoadores de forma a tirar partido do potencial da nossa plataforma B2B".

O 'Xelerate Markant Services International Portugal', terá como principal ambição o apoio e a expansão da "digitalização no retalho", sendo expectável que se assuma como uma peça determinante para "gerar vantagens ao nível de processos e custos". O grupo conta com mais de 15 mil empresas parceiras, tendo estes sido responsáveis por uma faturação de 139 mil milhões de euros em 2023, 63 mil milhões dos quais "transacionados" através da Markant.

Para Mark Michaelis, a nova plataforma procurará "aproveitar a ampla 'expertise' da comunidade de IT portuguesa para acelerar o desenvolvimento de produtos de software ao mesmo tempo que cria um ambiente de trabalho inspirador e colaborativo", com 30 novos postos de trabalho altamente qualificiados a serem criados durante 2024".

+ notícias: Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte mudou com o Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte, no coração do Porto, ganhou o nome da loja da esquina voltada ao Mercado do Bolhão. A emblemática empresa da cidade viria a encerrar em 2004, paradoxalmente o ano da criação da Porto Vivo, Sociedade de Reabilitação Urbana, que lançou as bases da nova vida do quarteirão. Entre projetos, demolições e mudança de promotores imobiliários, só ao fim de quase 20 anos é que o espaço da cidade vai voltar a receber moradores. Numa viagem pela história, que resposta dá à cidade o novo Quarteirão da extinta Casa Forte?

“A ‘cidade-negócio’ vai-se descaracterizando completamente perdendo interesse até para turistas”

A histórica Mercearia do Bolhão, aberta no Porto desde 1880, vai encerrar portas a 30 de abril para dar lugar a uma loja da multinacional Ale-Hop, como avançou o Porto Canal na manhã desta sexta-feira. À esquerda, os vereadores da oposição da Câmara do Porto lamentam que a cidade se vá ‘descaracterizando’.

Neonia: o novo museu interativo e néon que ilumina a história do Porto

Sabia que em 1917, dois acrobatas subiram à Torre dos Clérigos sem qualquer equipamento de proteção para promover uma marca de bolachas? Apesar de já ter passado mais de um século, este é um entre os tantos acontecimentos lembrados no novo museu que abriu portas este sábado no coração do Porto. “O Neonia é uma pura homenagem à cidade”, sublinha um dos responsáveis.