São 191 mas deviam ser 275. Efetivo da Polícia Municipal do Porto é 30% inferior ao previsto

| Porto
Porto Canal/Agências

O efetivo da Polícia Municipal do Porto é 30% inferior ao previsto, contando atualmente com 191 agentes, mas necessitando de 275 operacionais, revelou esta segunda-feira o comandante António Leitão.

“Estamos 30% abaixo dos números legalmente estabelecidos. Temos um défice de 84 polícias”, afirmou o comandante da Polícia Municipal do Porto, António Leitão, durante o Conselho Municipal de Segurança.

Dos 191 operacionais que atualmente a Polícia Municipal dispõe, 173 são agentes e os restantes chefes ou oficiais. Segundo o comandante, desde 2018 verificou-se uma redução de 13% do efetivo policial por força da aposentação.

Já quanto aos recursos materiais, António Leitão destacou o investimento feito nos últimos anos pelo município. “O investimento foi muito claro, palpável e visível”, observou, notando que, em 2013, a Polícia Municipal contava com 24 viaturas e, neste momento, dispõe de 56 carros de patrulha.

O comandante adiantou ainda que este ano deverão ser ultrapassas as mais de 50 mil chamadas para o Centro de Gestão Integrada (CGI) registadas em 2022. “Entre 40 e 50% de todas as chamadas corresponderam ao envio de meios aos locais”, observou.

António Leitão adiantou também que, no último ano, foram bloqueadas 4.200 viaturas na cidade e que este ano as projeções rondam as seis mil viaturas. “Não são números que nos devem orgulhar. Gostaria de ver mais baixos”, adiantou.

+ notícias: Porto

Um ano depois do novo regulamento, Movida continua a não dar descanso aos moradores da Baixa do Porto

“Eles ficam com o dinheiro, e nós ficamos com o barulho”. O desabafo de Paula Amorim perdura há mais de 15 anos, altura em que a vida noturna começou a crescer na Baixa do Porto. A moradora, juntamente com outra, Sara Gonçalves, tem sido o rosto de uma luta que parece não ter fim, nem com um novo regulamento lançado há um ano: “Não desisto porque tenho direito ao descanso”. Câmara admite rever regras.

"Novo governo vai ter de assumir" futuro da Ponte Maria Pia, defende Eduardo Vítor Rodrigues

O presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia alertou esta segunda-feira para a necessidade de o próximo governo acertar o futuro da antiga ponte ferroviária Maria Pia, cuja intervenção foi estimada em 15 milhões de euros.

Incêndio em colégio no Porto já está extinto

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de deste domingo no Colégio Flori, no Porto, "já está extinto" e em fase de rescaldo e ventilação, adiantaram ao Porto Canal as autoridades.