Porto vai candidatar órgãos de tubos a Património Cultural da Humanidade

Porto vai candidatar órgãos de tubos a Património Cultural da Humanidade
| Porto
Porto Canal/Agências

A Câmara Municipal do Porto vai candidatar todos os órgãos de tubos das igrejas da cidade a Património Cultural da Humanidade da UNESCO, integrando já a lista igrejas como a dos Clérigos, Lapa, Carmelitas, Taipas, São Nicolau e Vitória.

A Câmara do Porto esclareceu esta sexta-feira que a lista integra já os órgãos de tubos de igrejas como a Igreja Privativa e Capela de Nossa Senhora da Esperança, da Santa Casa da Misericórdia, a Igreja dos Clérigos, Lapa, Carmelitas, Santa Clara, Santo Ildefonso, São João Novo, Taipas, Vitória, São Nicolau, Miragaia e Capela das Almas.

Segundo a autarquia, o Departamento Municipal de Gestão do Património Cultural está em conversações com outras igrejas e capelas da cidade para que os seus órgãos de tubos possam integrar a candidatura conjunta.

Na quinta-feira, numa publicação na sua página oficial, a Câmara do Porto anunciou que vai candidatar os órgãos de tubo das igrejas da cidade a Património Cultural da Humanidade da UNESCO.

“Trata-se de um conjunto de instrumentos, espalhados por diversos templos, de grande complexidade e de uma beleza artística musical e construtiva impressionante”, salientou a autarquia, dando como exemplo o órgão de tubos da igreja da Lapa.

“Depois de meio ano de trabalhos de reabilitação, os sons do órgão voltaram a ouvir-se, atraindo população local e turistas, que visitam o local emblemático da cidade”, acrescentou.

Com um total de 4 mil e 307 tubos e um carrilhão de 42 sinos, o órgão de tubos da igreja da Lapa integra uma rede de instrumentos musicais da cidade, como os órgãos da Sé, Clérigos, Trindade, São João das Taipas, Santo Ildefonso, entre outros.

+ notícias: Porto

“Quero o Siza a rever e a atualizar o projeto da Avenida da Ponte”. Porto relança o debate e quer mais habitação no centro da cidade

Pedro Baganha, vereador na Câmara Municipal do Porto, revelou querer que seja o arquiteto Álvaro Siza a retomar o projeto da Avenida da Ponte, para onde já apresentou dois planos, em 1968 e 2000. A ideia é fazer uma atualização para que projeto contemple a construção de mais habitação. O custo da operação pode chegar aos 70 milhões de euros e o autarca mostra-se disponível para aprovar um loteamento municipal para garantir que se cumprem alguns princípios urbanísticos já apresentados.

Já há uma barreira a vedar prédio devoluto na Boavista. Solução não reúne consenso dos moradores

O prédio devoluto na Avenida da França, antigo edifício da Direção de Recrutamento Militar, começou a ser vedado pela Proteção Civil do Porto esta terça-feira, pelas 16h00, com os trabalhos a estenderem-se até sexta-feira. A medida havia sido prometida por Rui Moreira, no Conselho Municipal de Segurança, realizado na passada sexta-feira, após queixas por parte dos vizinhos devido à ocupação indevida do local por um grupo nómada, como noticiou o Porto Canal.

Viaduto na Boavista vira “lixeira” após ter sido ocupado

Desde dezembro de 2017 que a passagem inferior do viaduto da Rua de Domingos Sequeira, junto à Rotunda da Boavista, tem sido ocupada intermitentemente por um grupo nómada. As pessoas que lá pernoitam deixam um rasto de lixo e excrementos humanos, com os moradores a mostrarem preocupações pela saúde pública, com relatos de pragas de roedores a chegarem ao Porto Canal.