Casa da Música apresenta 18 eventos para celebrar 18 anos

| Porto
Porto Canal

Foi apresentada, esta quinta-feira, uma programação exclusiva com 18 eventos, de 14 a 29 de abril, na Casa da Música.

"Na casa dos 18" é o tema do aniversário da Casa da Música, que celebra 18 anos a 14 de abril.

No primeiro dia, a Orquestra Sinfónica da Casa da Música abre com um concerto em forma de homenagem ao maestro Leopald Hager que se despede dos palcos este ano.

A Casa da Música tem-se distinguido, nos últimos anos, pelo estímulo à criação de peças de forma digital através de uma equipa de investigação e produção tecnológica.

A "digitópia", como é chamada, já permitiu que pessoas com maiores limitações pudessem apreciar e tocar música.

A Casa da Música preparou uma oferta de 60 bilhetes por concerto para quem nasceu em 2005.

A partir de agosto, começa o "assalto ao armazém", uma iniciativa que permite que o público aceda a material de arquivo dos 18 anos de história.

+ notícias: Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte mudou com o Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte, no coração do Porto, ganhou o nome da loja da esquina voltada ao Mercado do Bolhão. A emblemática empresa da cidade viria a encerrar em 2004, paradoxalmente o ano da criação da Porto Vivo, Sociedade de Reabilitação Urbana, que lançou as bases da nova vida do quarteirão. Entre projetos, demolições e mudança de promotores imobiliários, só ao fim de quase 20 anos é que o espaço da cidade vai voltar a receber moradores. Numa viagem pela história, que resposta dá à cidade o novo Quarteirão da extinta Casa Forte?

“A ‘cidade-negócio’ vai-se descaracterizando completamente perdendo interesse até para turistas”

A histórica Mercearia do Bolhão, aberta no Porto desde 1880, vai encerrar portas a 30 de abril para dar lugar a uma loja da multinacional Ale-Hop, como avançou o Porto Canal na manhã desta sexta-feira. À esquerda, os vereadores da oposição da Câmara do Porto lamentam que a cidade se vá ‘descaracterizando’.

Fecha a Mercearia do Bolhão. Vai o Porto tornar-se numa “cidade como outra qualquer”?

A histórica Mercearia do Bolhão, aberta no Porto desde 1880, vai encerrar portas a 30 de abril para dar lugar a uma loja da multinacional Ale-Hop, como avançou o Porto Canal na manhã desta sexta-feira. José Rio Fernandes, geógrafo e professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, considera que Portugal deveria ser “menos liberal em relação ao comércio” e que os municípios deveriam ter mais poder no que diz respeito à ordenação do seu território.