Raspadinhas vão deixar de ser vendidas nos CTT

Raspadinhas vão deixar de ser vendidas nos CTT
| País
Porto Canal

Os Correios de Portugal (CTT) vão deixar de vender raspadinhas, anunciou esta sexta-feira o ministro das Infraestruturas, João Galamba.

"Os CTT vão deixar de vender raspadinhas, indo ao encontro da preocupação do senhor deputado Rui Tavares e da senhora deputada Mariana Mortágua", afirmou o Ministro das Infraestruturas, no Parlamento.

"A atual administração dos CTT vai deixar de usar a rede dos CTT para vender raspadinhas e vai dedicar-se" a outras questões relacionadas com "serviços de proximidade", frisou João Galamba.

Recorde-se que o partido Livre entregou um projeto de Lei a proibir a "venda de bilhetes de lotarias e de lotaria instantânea nas estações e postos de correio".

"O presente projeto de lei proíbe a venda de bilhetes de lotarias e de lotaria instantânea (vulgo "raspadinhas") nas estações e postos de correio, autorizando o Governo a alterar o contrato de concessão outorgado entre o Estado Português e a concedente CTT - Correios de Portugal SA - Sociedade Aberta", pode ser lido no documento redigido.

+ notícias: País

Vinte e quatro vítimas de abuso querem indemnização da Igreja Católica

O grupo Vita recebeu até ao momento 24 pedidos de indemnização financeira, por danos sofridos, de vítimas de abuso sexual no seio da Igreja Católica em Portugal, iniciando na terça-feira um roteiro pelas dioceses do país, foi este domingo anunciado.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".

Proteção Civil desconhece outras vítimas fora da lista das 64 de acordo com os critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje desconhecer a existência de qualquer vítima, além das 64 confirmadas pelas autoridades, que encaixe nos critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro.