Marcelo agradece a ciganos que "deram a vida pela independência" e lamenta discriminação

Marcelo agradece a ciganos que "deram a vida pela independência" e lamenta discriminação
| País
Porto Canal / Agências

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou esta quinta-feira, 1 de dezembro, os ciganos que "deram a vida" pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.

"Ao lembrar tantos portugueses, de tantas origens, que se envolveram no movimento revolucionário, o Presidente da República quer lembrar também os portugueses de etnia cigana que, como reconheceu então o próprio Rei D. João IV, deram a vida pela nossa independência nacional", escreveu Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem evocativa do Dia da Restauração da Independência que se assinala esta quinta-feira.

Na mensagem em que saúda o dia “em que valorosos guerreiros nos deram livre a Nação”, o chefe de Estado destaca o 'cavaleiro fidalgo' Jerónimo da Costa e muitos dos duzentos e cinquenta outros ciganos que serviram nas fronteiras e tombaram por Portugal.

"Portugal lembra-os, presta-lhes homenagem e exprime a sua gratidão. Este dever de memória é de elementar justiça e rompe com tanto esquecimento e discriminação de que os ciganos têm, infelizmente, sido alvo no nosso país".

O Presidente da República, que esta quinta-feira de manhã preside à sessão evocativa do Dia da Restauração, na Praça dos Restauradores, em Lisboa, sublinhou ainda na mensagem o 1 de dezembro como "um dia importante e significativo da História de Portugal, em que o povo português recuperou a sua independência, num movimento no qual, com os conjurados de 40, muitos se implicaram, descontentes com a situação do país, aquém e além-mar, e com as suas condições de vida".

O dia 1 de dezembro assinala o golpe revolucionário de 1640 que acabou com o domínio da dinastia Filipina sobre Portugal, retirando o país da alçada espanhola e colocando no trono D. João IV.

+ notícias: País

Manuel Magina da Silva reconduzido no cargo de diretor nacional da PSP

O Governo reconduziu no cargo o diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), superintendente-chefe Manuel Magina da Silva, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI).

Jornada Mundial da Juventude vai custar à Igreja pelo menos 80 milhões

O orçamento da igreja para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) ainda não está fechado, mas será divulgado nos próximos dias, tendo já um valor provisório superior a 80 milhões de euros, adiantou esta quinta-feira o bispo coordenador do evento.

Sindicato da PSP volta a alertar para “más condições de trabalho” em esquadras

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) denunciou esta quinta-feira “mais uma vez” as “más condições de trabalho em muitas esquadras e outras instalações da Polícia de Segurança Pública”, como na região do Porto ou no Aeroporto de Lisboa.