Sabe porque é que é feriado no dia 1 de dezembro?

Sabe porque é que é feriado no dia 1 de dezembro?
| País
Porto Canal

O feriado de 1 de dezembro foi suspenso em 2012 e na época criou uma forte indignação. O objetivo da suspensão, aprovada sob o governo de Passos Coelho em 2012, foi "acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o país atravessa". Mas ele voltou. Em 2016, o primeiro de dezembro volta a ser feriado em Portugal, dando as boas-vindas ao último mês do ano com uma folga para a maioria dos portugueses.

Mas porque é que é feriado? Este dia assinala o golpe revolucionário de 1 de dezembro de 1640, que acabou com o domínio da dinastia filipina sobre Portugal, retirando o país do domínio espanhol e colocando no trono D. João IV. O golpe é designado como a Restauração da Independência.

Este feriado particular tem-se mantido desde a monarquia, passando os primeiros anos de República, o Estado Novo e o 25 de Abril, tendo estado suspenso apenas durante três anos. Foi um dos quatro feriados suprimidos a partir de 2013 pelo Governo PSD/CDS-PP, que foram repostos em 2016 pelo Governo socialista de António Costa.

Embora a Revolução tenha acontecido em 1640, só em 1668 é que os espanhóis consideraram Portugal como um reino independente, com a assinatura do Tratado de Lisboa. Há quase 200 anos, desde 1823, que o 1º de dezembro é feriado nacional.

+ notícias: País

Defesa de Vale e Azevedo recorre para o Tribunal Constitucional contra contumácia

A defesa de João Vale e Azevedo recorreu para o Tribunal Constitucional (TC) para contestar a declaração de contumácia que recai sobre o antigo presidente do Benfica, desde setembro de 2022, por não ter sido notificado para julgamento.

Manuel Magina da Silva reconduzido no cargo de diretor nacional da PSP

O Governo reconduziu no cargo o diretor nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), superintendente-chefe Manuel Magina da Silva, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI).

JMJ. Valor do altar-palco "magoa todos", disse o Bispo Américo Aguiar

O presidente da Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 disse esta quinta-feira que o valor (superior a quatro milhões de euros) do altar-palco onde o Papa vai celebrar a missa final "magoa todos", admitindo eventuais correções se necessárias.