Bombeiros profissionais exigem aumentos salariais e equidade de tratamento

Bombeiros profissionais exigem aumentos salariais e equidade de tratamento
| País
Porto Canal / Agências

O Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais (SNBP) exigiu esta terça-feira aumentos salariais em 2023 e equidade de tratamento aos restantes trabalhadores da função pública, relembrando que a tabela salarial dos bombeiros profissionais “não é revista desde 2002”.

“O SNBP alerta que os bombeiros não devem ser, novamente, esquecidos, na proposta de valorização salarial, visto que estão inseridos nas carreiras especiais. Deste modo, é fundamental que seja elaborada uma correção salarial dos seus vencimentos. A tabela salarial não é revista desde 2002”, refere aquele sindicato, em comunicado.

O alerta do sindicato surge após o Governo ter anunciado aumentos salariais da função pública para 2023.

Segundo o SNBP, o Governo indicou que terá em consideração as outras carreiras especiais para os aumentos salariais em 2023, devendo o mesmo princípio ser aplicado aos bombeiros.

“A carreira de bombeiro sapador apresenta a exigência do grau de complexidade funcional dois, na administração pública, ao exemplo do que é imposto na carreira de assistente técnico. Logo, enquanto não for revista a nossa tabela salarial, que não está enquadrada na tabela remuneratória única da função pública, deve ser aplicado, no mínimo, o mesmo princípio a todos os bombeiros sapadores”, indica o sindicato.

O SNBP considera que os bombeiros sapadores “não devem ser colocados em segundo plano, uma vez que também são funcionários públicos e que nos últimos anos sentiram a redução do poder de compra e a desatualização nos seus vencimentos.

O SNBP defende que o Orçamento do Estado para 2023 deve contemplar, no mínimo, o aumento a todos os bombeiros, idêntico ao valor aplicado aos assistentes técnicos, ou seja, 104, 22 euros, “para haver equidade nos aumentos salariais a todos os trabalhadores da função pública”.

“Neste momento, o SNBP assume esta posição e defende a revisão da tabela salarial dos bombeiros sapadores. Não queremos nem mais, nem menos que os restantes trabalhadores da administração pública. Contudo, pedimos equidade no tratamento para não haver uma maior degradação salarial dos bombeiros sapadores”, sustenta ainda o sindicato.

O Orçamento do Estado para 2023 vai ser entregue na Assembleia da República na segunda-feira.

+ notícias: País

Já são conhecidas as medidas de coação no caso de tráfico humano no Alentejo

O juiz Carlos Alexandre determinou que 23 dos arguidos, todos eles estrangeiros, ficam em prisão preventiva, outros oito que também ficaram com essa medida têm a possibilidade de passar a ter pulseira eletrónica em prisão domiciliária. Quatro portugueses saem em liberdade, mas ficam proibidos de contactos e com apresentações periódicas às autoridades.

Horários alargados em 176 centros de saúde a nível nacional

Quase duas centenas de centros de saúde estão já a funcionar em todo o país com horário alargado, disponível para consulta no portal do SNS, uma medida que visa diminuir a pressão sobre as urgências hospitalares.

Adão e Silva não vai ao Qatar "contra instâncias que dirigem o futebol mundial." As polémicas do ministro-adepto

Pedro Adão e Silva, em entrevista ao semanário Expresso, garante que não vai ao Mundial de 2022 mesmo que a Seleção Nacional chegue à final. O atual ministro da Cultura defende que o seu lugar no futebol “é no Estádio da Luz”.