Gaia inaugura primeira piscina de praia aquecida do país

| Norte
Porto Canal / Agências

Vila Nova de Gaia tem a primeira piscina com água do mar aquecida do país, numa praia. De acesso gratuito, tem 20 por 25 metros, profundidade máxima de um metro, e temperatura entre os 28 e 29 graus.

ACâmara Municipal de Vila Nova de Gaia investiu 96.468 mil euros na primeira piscina com água do mar aquecida do país, integrada numa praia. Abre ao público este sábado, em Canide Norte, no concelho gaiense.

“A piscina é 100% sustentável, uma vez que é usada água do mar, aquecida por painéis solares (energia renovável), e será monitorizada permanentemente”, avança, em comunicado, a autarquia liderada pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues.

Segundo o município, esta é a grande novidade da época balnear 2022 em Gaia. De acesso gratuito, a piscina tem 20 por 25 metros, profundidade máxima de um metro, e água a uma temperatura entre os 28 e 29 graus. Está instalada na praia de Canide Norte, entre os bares Grão de Areia e Ar de Mar. Os veraneantes podem contar com barracas de apoio e uma barreira para proteger o espaço do vento.

+ notícias: Norte

Populares e ativistas marcaram presença num protesto contra a exploração de lítio na mina do Barroso

Na manhã desta terça-feira, dezenas de populares e ativistas marcaram presença numa manifestação contra a exploração de lítio na mina do Barroso. A arruada simbólica serviu de alerta para os impactos ambientais e para a escassez de água de que a região enfrenta e que a extração mineira pode agravar.

Trabalhadores da maior produtora de cogumelos frescos em greve por melhores salários e condições de trabalho

Os trabalhadores das unidades de produção da maior produtora de cogumelos frescos do país estiveram em greve ao longo desta terça-feira. Ao que apurou o Porto Canal, os trabalhadores exigem um aumento dos salários, do subsídio de alimentação e ainda melhores condições de trabalho.

Uso "desenfreado" de trotinetes aumentou "medo de usar o espaço público" em invisuais

O uso "desenfreado e sem civismo" de trotinetes aumentou o medo de usar o espaço público nas pessoas invisuais, agudizando o sentimento de isolamento de quem não vê, denunciou esta terça-feira a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal.