Câmara de Leiria vai lançar concurso de 1,3 ME para remodelar quartel da GNR

| País
Porto Canal / Agências

Leiria, 28 jun 2022 (Lusa) - A Câmara de Leiria aprovou hoje o lançamento do concurso público para a remodelação do quartel de Monte Redondo da Guarda Nacional Republicana (GNR), investimento de 1,3 milhões de euros partilhado com o Ministério da Administração Interna.

Na reunião do executivo municipal, onde a proposta foi aprovada por unanimidade, a vereadora do PSD Branca Matos referiu que quem conhece este posto da GNR sabe que "precisa de obras há muito tempo" e apontou infiltrações em vários espaços do edifício.

Branca Matos questionou se com o valor do concurso "não seria melhor a possibilidade de construir um posto de raiz" e se "esta obra de ampliação e remodelação é mesmo a opção correta", perguntando ainda onde serão colocados os efetivos da GNR durante o prazo de execução da empreitada, que é de 540 dias.

A vereadora quis também saber se esta obra no posto de Monte Redondo da GNR representa "o fim anunciado" do posto de Monte Real".

O presidente do município, o socialista Gonçalo Lopes, referiu que "não irão faltar soluções locais para acolher transitoriamente" o efetivo da GNR, frisando, por outro lado, que o posto de Monte Redondo "não substitui" o de Monte Real, que tem "a sua área de influência própria" e que também "será objeto de intervenção" que "está a ser articulada com a Junta de Freguesia e que terá de ser validada" pela tutela.

Gonçalo Lopes destacou que o posto de Monte Redondo da GNR vai ser objeto de uma "intervenção bastante profunda", incluindo ampliação e melhorias.

Adiantando que a questão de ser um edifício de raiz "deve ter sido avaliada" na altura pela Junta e pela Câmara, o autarca notou ainda que o atual posto "tem uma boa localização".

O preço base do concurso é de 1.346.473,43 euros, acrescido de IVA.

SR // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Futura sede da TAP pode vir a custar 3,8 milhões/ano. Pilotos criticam mudança

O sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusou, esta quinta-feira, a gestão da TAP de “desperdiçar” as receitas do verão com “milhões de erros” cometidos ao longo do ano. Um deles é, segundo a estrutura sindical, o “gasto desnecessário com a mudança da sede da empresa do Aeroporto de Lisboa para o Parque das Nações. Um dos edifícios na mira da companhia aérea nacional tem uma renda anual de quase 4 milhões de euros.

Vida e obra de Luís Ferreira Alves: o pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal

Luís Ferreira Alves, pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal, impulsionou a evolução desta arte desde a década de 80, acarinhado e reconhecido no meio, morreu em Julho aos 84 anos.

Sindicato dos Pilotos da Aviação acusa a TAP de "milhões de erros" 

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusa a TAP de desperdiçar as receitas do verão com milhões de erros ao longo ano. Entre os principais problemas apontados pela estrutura está a contratação externa de serviços a várias companhias áreas, num valor superior a 200 milhões de euros.