Cientistas portugueses descobrem mecanismo da perda de memória em doentes de Parkinson

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 25 set (Lusa) - Cientistas portugueses descobriram, num estudo com ratinhos, o mecanismo celular que pode explicar a falta de memória em doentes de Parkinson, foi hoje divulgado.

O estudo, conduzido por investigadores do Instituto de Medicina Molecular (iMM) de Lisboa e das universidades Nova de Lisboa e de Gotinga, na Alemanha, revelou que uma proteína que se acumula no cérebro de doentes de Parkinson, a alfa-sinucleína, interage com uma outra proteína, a PrP, que funciona como um sensor, gerando alterações nas funções dos neurónios (células cerebrais) ligados à memória.

Ao administrarem uma droga da família da cafeína a ratinhos com excesso de alfa-sinucleína, a equipa de Luísa Lopes (iMM) e Tiago Outeiro (Universidade de Gotinga e Centro de Estudos de Doenças Crónicas da Universidade Nova de Lisboa) verificou, em testes de comportamento, que os défices de memória reverteram.

"Os animais tinham mais facilidade em encontrar pistas" do que os que não eram tratados com o fármaco, disse à Lusa a investigadora do iMM Luísa Lopes.

Tiago Outeiro precisou que o medicamento atua numa outra proteína, os recetores de adenosina A2A, que medeiam a interação entre as proteínas alfa-sinucleína e PrP.

"Se inibirmos os recetores A2A, evitamos o sinal tóxico emitido pela alfa-sinucleína para a PrP", afirmou à Lusa.

O investigador adiantou que o próximo passo do trabalho será caracterizar a interação entre as proteínas alfa-sinucleína e PrP, para "desenhar fármacos" que bloqueiem esta interação, e os seus efeitos na memória e na capacidade cognitiva, para os testar em ratos e macacos.

Segundo Tiago Outeiro, as terapias disponíveis para a doença de Parkinson apenas tratam disfunções motoras (tremores, dificuldade em andar e rigidez dos músculos são alguns dos sintomas).

Com o avançar da doença, surgem défices de memória e cognitivos e demência.

Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Nature Neuroscience.

ER // JMR

Lusa/Fim

+ notícias: País

Carneiro diz que portugueses preferem o seu perfil e projeto político

O candidato a secretário-geral do PS José Luís Carneiro sublinhou este sábado, em Baião, onde foi presidente de câmara, que os portugueses preferem o seu perfil e projeto político, que disse ser de “estabilidade e previsibilidade”.

José Luís Carneiro garante apoio de Eurico Brilhante Dias e ganha força no PS

O líder parlamentar do PS manifestou o apoio a José Luís Carneiro à liderança do partido, considerando que o ministro da Administração Interna tem um percurso político “feito de eficácia, grande responsabilidade e de bons resultados”.

Nove hospitais serão destruídos em Portugal devido ao aquecimento global, aponta estudo

Mais de 16 mil hospitais em todo o mundo serão destruídos total ou parcialmente até 2100 se o aquecimento global não for travado, nove dos quais estão localizados em Portugal, segundo um estudo divulgado este sábado.