O que deve saber sobre o sarampo

O que deve saber sobre o sarampo
| País
Porto Canal (AYR)

Com os 21 casos de sarampo confirmados em Portugal, o Porto Canal esclarece aqui algumas questões sobre a doença e o que a envolve.

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, causada por um vírus, e que se propaga por via aérea através de tosse, espirros ou em objetos tocados pela pessoa que contêm o vírus.

Uma pessoa que esteja infetada com sarampo é contagiosa até quatro dias depois de aparecer as primeiras erupções cutâneas na pele.

Nos primeiros dois dias de infeção, o vírus manifesta-se com o aparecimento de pequenos pontos brancos na boca.

O sarampo, hoje em dia, tem uma evolução benigna mas pode desencadear complicações futuras como otite média, pneumonia, convulsões febris e encefalites. Em adultos a doença é mais grave e pode até levar à morte.

Para se prevenir do vírus a forma mais eficaz é através da vacina contra o sarampo, o que entre 2000 e 2015 reduziu a mortalidade de pessoas infetadas com o vírus em quase 80%.

Se já tem as duas doses da vacina ou se já teve a doença em criança considere-se protegido sendo que em Portugal a taxa de imunização contra o sarampo ronda os 95%.

+ notícias: País

Já são conhecidas as medidas de coação no caso de tráfico humano no Alentejo

O juiz Carlos Alexandre determinou que 23 dos arguidos, todos eles estrangeiros, ficam em prisão preventiva, outros oito que também ficaram com essa medida têm a possibilidade de passar a ter pulseira eletrónica em prisão domiciliária. Quatro portugueses saem em liberdade, mas ficam proibidos de contactos e com apresentações periódicas às autoridades.

Horários alargados em 176 centros de saúde a nível nacional

Quase duas centenas de centros de saúde estão já a funcionar em todo o país com horário alargado, disponível para consulta no portal do SNS, uma medida que visa diminuir a pressão sobre as urgências hospitalares.

Adão e Silva não vai ao Qatar "contra instâncias que dirigem o futebol mundial." As polémicas do ministro-adepto

Pedro Adão e Silva, em entrevista ao semanário Expresso, garante que não vai ao Mundial de 2022 mesmo que a Seleção Nacional chegue à final. O atual ministro da Cultura defende que o seu lugar no futebol “é no Estádio da Luz”.