Info

Comunidade Intermunicipal de Aveiro vai analisar prejuízos das cheias

| Norte
Porto Canal com Lusa

Aveiro, 18 fev (Lusa) -- As consequências das recentes inundações vão ser discutidas na próxima reunião do Conselho Intermunicipal da Região de Aveiro, que se realiza segunda-feira em Albergaria-a-Velha, revelou hoje à Lusa fonte da Comunidade Intermunicipal.

A área da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) foi uma das mais afetadas pelos recentes temporais, nomeadamente a zona de Águeda, devido ao Rio do mesmo nome ter galgado o seu leito, Angeja (Albergaria-a-Velha), onde o Rio Vouga inundou os campos e se registou uma vítima mortal, e Estarreja, cujo acesso sul esteve cortado devido à subida do nível das águas do Rio Antuã.

Segundo disse à Lusa a mesma fonte, ainda não é possível avaliar completamente os prejuízos, porque ainda há campos no Baixo Vouga Lagunar que estão submersos, mas há estruturas hidráulicas que foram danificadas.

O tema deverá ser abordado na próxima reunião do Conselho Intermunicipal, que quererá avançar com um levantamento dos prejuízos causados pelas inundações, que afetaram os agricultores da zona.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, garantiu há dias que haverá "soluções financeiras" para os agricultores afetados pelo mau tempo, "no quadro da política nacional e dos instrumentos financeiros da política agrícola comum (PAC)", mas referiu-se apenas às regiões do Douro e Mondego, sem qualquer alusão aos campos do Baixo Vouga.

MSO // MSP

Lusa / Fim

+ notícias: Norte

Construção nas Fontainhas do Porto gera onda de contestação entre os moradores

Uma nova construção está a gerar polémica nas Fontainhas, no Porto. Os moradores já pediram embargo da obra que tapa as vistas para o Douro. A Câmara do Porto diz não ver desconformidades no projeto.

Despoluição e requalificação do Rio Tinto finalizada com investimento de 10 milhões de euros

O problema de poluição do Rio Tinto, que existia há várias décadas, está resolvido. Foram investidos perto de 10 milhões de euros para a despoluição e requalificação da área envolvente.

Funcionária da Câmara Municipal de Barcelos denuncia falta de condições de trabalho por laboral ao lado de casa de banho

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga "obrigou" a Câmara de Barcelos a recolocar no seu posto de trabalho original uma funcionária que tinha sido transferida para outro local, sem condições dignas e sem funções atribuídas. A mulher foi posta a trabalhar junto a uma casa de banho masculina.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.