Info

Bombeiro internado no Hospital da Prelada com "prognóstico muito reservado"

Bombeiro internado no Hospital da Prelada com "prognóstico muito reservado"
| Norte
Porto Canal

O bombeiro que na quinta-feira ficou ferido num incêndio em Tondela, distrito de Viseu, e foi levado para o Hospital da Prelada, no Porto, encontra-se "bastante instável" e com "prognóstico muito reservado".

Fonte hospitalar disse hoje de manhã à Lusa que "as próximas horas serão determinantes".

O jovem de 18 anos ficou com 55% do corpo com queimaduras no incêndio de São Marcos/Muna, concelho de Tondela, que matou uma bombeira de 21 anos e feriu outros quatro operacionais.

"Está com 55% da superfície corporal queimada. Também afetou as vias respiratórias e, portanto, ele encontra-se entubado e ventilado, tem queimaduras nos membros inferiores e superiores, no dorso, na face e no pescoço. Está com prognóstico muito reservado", disse a fonte hospitalar, acrescentando que as queimaduras são de segundo e terceiro graus.

Em relação ao bombeiro Daniel Falcão, de 25 anos, operacional de Miranda do Douro que ficou ferido num incêndio a 01 de agosto e foi também transferido para o Hospital da Prelada, a fonte disse que o prognóstico evoluiu de muito reservado para reservado.

O bombeiro deu entrada com 70% a 80% do corpo queimado.

"Houve alguma evolução, de qualquer forma mantém uma situação grave, mas as coisas têm vindo a correr da melhor forma possível", esclareceu.

+ notícias: Norte

Jovem de 18 anos morre afogada no Gerês

Uma jovem de 18 anos morreu afogada, esta terça-feira, na cascata das Sete Lagoas, em Cabril, no Gerês, apurou o Porto Canal com o comandante dos Bombeiros Voluntários de Salto.

Atualizado 23-07-2019 17:50

Número de moradores do prédio Coutinho desce de nove para sete

A VianaPolis informou esta terça-feira à Lusa ter chegado a acordo com um casal que detinha um apartamento no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, onde, segundo aquela sociedade, ainda permanecem sete pessoas em cinco frações.

Limitação de auxílio na aterragem no aeroporto do Porto obriga ao desvio de 10 voos 

10 voos tiveram que ser desviados do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, na passada sexta-feira, tudo porque o aeroporto tem apenas um aparelho de auxílio à aterragem em caso de nevoeiro. Os aeroportos de Lisboa e de Faro têm dois aparelhos, isto apesar de serem cidades com muito menos dias de novoeiro do que a cidade 'invicta'. 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.