Info

Pinto da Costa lamenta perda de “um grande Dragão”

| País
Porto Canal com fcporto.pt

Manoel de Oliveira, que era o mais velho realizador do mundo em actividade e uma das maiores referências do cinema mundial, faleceu esta quinta-feira, aos 106 anos. O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, já reagiu à morte do cineasta português, portuense e portista e enviou as mais sentidas condolências à família. O Governo decretou dois dias de luto nacional e o funeral realiza-se esta sexta-feira, às 15h00, no Cemitério de Agramonte, no Porto.

“Lamento a perda de um amigo, de um grande cidadão, de um pioneiro do cinema, de um grande Dragão, de um português de referência. Acho que todo o país se deve curvar perante a memória deste grande homem que foi Manoel de Oliveira”, sublinhou o presidente portista, que, em Fevereiro de 2009, na gala dos Dragões de Ouro relativos à época 2007/08 (na foto), entregou a Manoel de Oliveira o galardão de Dragão de Honra, a mais alta distinção dos prémios anualmente atribuídos no universo do FC Porto.

"Não é especial, é especialíssimo. É um prémio do FC Porto, entregue na minha cidade. Nasci e vivo no Porto", disse, na altura, Manoel de Oliveira, que juntou o galardão a muitos outros, como a Palma de Ouro de Cannes e dois Leões de Ouro de Veneza, entre mais de cem prémios recebidos em todo o mundo. Aliás, o autor de Aniki-Bobó era o cineasta português mais premiado de sempre, tendo visto muitos dos seus filmes receberem distinções de festivais internacionais, de Tóquio a Munique, passando por Lucarno e Berlim. No ano passado, foi condecorado pelo Presidente da República francês, François Hollande, com as insígnias de Grande Oficial da Legião de Honra.

Em declarações posteriores ao Porto Canal, na Madeira, o presidente defendeu a transladação do seu corpo para o Panteão Nacional: "Será da mais elementar justiça e a forma de compensarmos o seu desaparecimento fisíco. Para nós no FC Porto, e creio que no país, ele será imortal. Está imortalizado no nosso Museu com uma declaração filmada, que é diariamente colocada no ecrã, com o cachecol do FC Porto, a assumir-se como portista de coração e em que afirma que quando o FC Porto ganha, ganha a nação".

Com um currículo de 47 filmes em 90 anos de carreira, Manoel de Oliveira era o único dos realizadores no activo cuja carreira começou ainda no cinema mudo, com Douro, Faina Fluvial (1931), e chegou à atualidade com O Gebo e a Sombra (2012). Nasceu a 11 de Dezembro de 1908, na freguesia portuense de Cedofeita (a mesma de onde é natural Pinto da Costa), quando D. Manuel II era rei de Portugal, 13 anos após o nascimento do cinema. Criado no seio de uma família da burguesia industrial do Porto, estudou na Galiza e foi atleta do Sport Club do Porto até ingressar numa escola de actores na cidade Invicta.

+ notícias: País

Covid-19: Mais seis mortes e 232 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais seis óbitos por covid-19, em relação a domingo, e mais 232 casos de infeção confirmados, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgados.

Homem morre afogado numa piscina em Viseu

Um homem de 79 anos morreu hoje afogado numa piscina em Marzovelos, na cidade de Viseu, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

Portugal recebeu 39 voos do Reino Unido depois de excluído dos corredores aéreos britânicos

Portugal ficou de fora da lista dos corredores aéreos britânicos, mas isso não significa que deixe de haver voos do Reino Unido para território nacional. Só neste fim de semana aconteceram 39 voos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.