Info

Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Rio almoçaram a sós em frente ao Tejo em Lisboa

| Política
Porto Canal com Lusa

O chefe de Estado e o presidente do PSD almoçaram hoje, a sós, num restaurante em frente ao Tejo, em Lisboa, por iniciativa de Marcelo Rebelo de Sousa, para falar da situação política, económica e social.

Atualizado 06-06-2020 11:56

"O senhor Presidente teve a iniciativa de me convidar para almoçar e aqui estou com todo o gosto", disse Rui Rio à agência Lusa, no local.

Por sua vez, o Presidente da República realçou que o seu anterior almoço com Rui Rio, há duas semanas, em Ovar, no distrito de Aveiro, "foi coletivo, foi colegial".

"Neste estamos só os dois, portanto, estamos mais à vontade para falar. Da outra vez, falámos de muitas coisas muito interessantes, mas não deu para falar de tudo", justificou Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado sobre os temas na agenda deste encontro, o chefe de Estado respondeu: "Vamos falar de pandemia, vamos falar de situação económica e social do país, do curtíssimo prazo, curto prazo, médio prazo".

Marcelo Rebelo de Sousa assinalou que "a legislatura ainda começou há pouco tempo, com a pandemia perdeu-se a noção disso, mas ainda não passou um ano de legislatura".

"E depois vamos falar da Europa, que é fundamental, vamos falar do mundo. Enfim, de tudo aquilo que fizer sentido falar, da situação política, económica, social, portuguesa e internacional", acrescentou.

+ notícias: Política

Covid-19: Jerónimo de Sousa avisa Governo para não repetir "dose" de gestão privada na TAP

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, insistiu hoje na necessidade de nacionalização da companhia aérea TAP e avisou o Governo para não repetir a "dose" de permitir que a empresa continue a ser gerida por privados.

Inspeção ao aterro de Valongo "levanta algumas preocupações" - ministro

O ministro do Ambiente afirmou que o relatório provisório da inspeção ao aterro de Valongo “levanta algumas preocupações”, mas remeteu novidades para segunda ou terça-feira.

Costa afasta "Bloco Central" e recusa aceitar incapacidade da esquerda para visão comum

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.