Info

Orçamento da Madeira para 2020 aprovado com votos contra da oposição

| Política
Porto Canal com Lusa

Funchal, Madeira, 23 jan 2020 (Lusa) - O Orçamento da Madeira para este ano, o primeiro de um executivo de coligação (PSD/CDS-PP), foi hoje aprovado em votação final global na Assembleia Legislativa Regional, com os votos contra de toda a oposição (PS, JPP e PCP).

O Orçamento de 2020, no valor de 1.743 milhões de euros, contou com os votos favoráveis do PSD (21) e do CDS-PP (três), contra do PS (19), do JPP (três) e do PCP (um).

O Plano de Investimentos, orçado em 548 milhões de euros, foi aprovado com os votos favoráveis do PSD e do CDS-PP, a abstenção do PS e contra do JPP e do PCP.

Os dois documentos estiveram a ser debatidos no parlamento regional desde segunda-feira.

Foram apresentadas e discutidas na especialidade 235 propostas de alteração, sendo 143 do PCP, 52 do PS e 35 do JPP.

Daquelas 235, 39 foram votadas em plenário por terem implicações nas receitas, versando matéria fiscal, como alterações ao Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA), Imposto sobre Rendimento de Pessoas Coletivas (IRC), tabaco, bebidas alcoólicas, extração de inertes e ecotaxa turística.

Na apreciação na especialidade, apenas foi acolhida uma proposta do PCP relativa à redução do açúcar e do sal nos produtos comercializados na Madeira.

AMB/EC // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

CDU quer retirar de confiança ao Porto de Leixões se obra for adjudicada antes do estudo ambiental

A CDU vai pedir que seja retirada a confiança à entidade que gere o Porto de Leixões caso avancem as obras de ampliação sem o estudo de impacto ambiental. Uma intenção expressa na moção que o partido vai apresentar na Assembleia Municipal de Matosinhos na próxima segunda-feira.

Rui Rio preocupado com "intolerável aumento de violência no desporto"

O presidente do PSD considerou, esta segunda-feira, que o que se passou no domingo no jogo entre Vitória de Guimarães e Porto "tem óbvios contornos racistas", mas defendeu que evidencia, acima de tudo, "um intolerável aumento de violência no desporto".

PCP quer regionalização do país até 2021 - Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, voltou hoje a defender a regionalização do país até 2021, considerando que "esta é a hora de se concretizar este imperativo constitucional que se mantém adiado há mais de quatro décadas".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.