Info

Bloco de Esquerda pede que medalha de mérito da Cidade do Porto atribuída ao marido de Isabel dos Santos seja retirada

| Norte
Porto Canal

José Soeiro, deputado do Bloco de Esquerda, anunciou, esta terça-feira, que o partido vai pedir à Assembleia Municipal do Porto que seja retirada a medalha de mérito da cidade, grau ouro, atribuída, em 2015, a Sindika Dokolo, marido da empresária angolana Isabel dos Santos, protagonista do recente caso Luanda Leaks, onde está indiciado que Isabel dos Santos terá desviado mais de 100 milhões de dólares da Sonangol para uma 'offshore' no Dubai.

 

O depuatdo considera que "a cidade do Porto não deve ter nenhum orgulho na medalha atribuída e deve retirar a homenagem que foi feita". José Soeiro refere ainda que o Bloco de Esquerda entende que "não há nenhum mérito em assaltar um povo e em utilizar a promoção da cultura para branquear essa forma de corrupção."

Para o deputado do Bloco de Esquerda "a família de Isabel assaltou o povo angolano e fê-lo com a cumplicidade da elite económica e política em Portugal", por isso, a medalha de mérito da Cidade do Porto atribuída em 2015 a Sindika Dokolo é "uma forma de conivência com esse assalto" e "deve ser retirada", pedido que o partido de José Soeiro fará à Assembleia Municipal do Porto.

+ notícias: Norte

Parlamento aprova audições de administração, trabalhadores da Casa da Música e da ACT

A comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social aprovou hoje o requerimento do Bloco de Esquerda para ouvir, com urgência, a ACT, representantes dos trabalhadores e administração da Casa da Música, disse à Lusa o deputado José Soeiro.

PJ deteve suspeito de violar adolescente de 13 anos em Penafiel

A Polícia Judiciária (PJ) deteve em Penafiel um homem, de 20 anos, suspeito de ter abusado sexualmente de uma menor, na zona de Entre-os-Rios, informou hoje a autoridade policial.

Covid-19: Autarcas do Alto Minho e da Galiza protestam pela reabertura "imediata" de fronteiras

Presidentes de câmara portugueses e galegos de municípios banhados pelo rio Minho exigiram hoje a reabertura "imediata" de mais três pontos entre Portugal e Espanha de forma a corrigir o que dizem ser uma injustiça dos dois Estados.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.