Info

Tancos: Ministério da Defesa investiga procedimento da PJ Militar

Tancos: Ministério da Defesa investiga procedimento da PJ Militar
| Política
Porto Canal com Lusa

O Ministério da Defesa determinou a 04 de outubro a realização de uma “auditoria extraordinária aos procedimentos internos” da Polícia Judiciária Militar (PJM), na sequência da recuperação do material militar roubado dos paióis de Tancos no ano passado.

Uma fonte oficial do Ministério da Defesa citada hoje pelo jornal Público adianta que a auditoria foi lançada ainda por Azeredo Lopes e visa apurar “as ações de prevenção e investigação criminal desenvolvidas e promovidas por aquele corpo superior de polícia criminal que sejam da sua competência ou que lhe sejam cometidas pelas autoridades judiciais competentes”.

A mesma fonte avançou que o relatório da auditoria “deverá estar concluído até ao final do ano”.

O furto de material militar dos paióis de Tancos foi revelado a 29 de junho de 2017 e a recuperação da maior parte do material foi divulgada pela Polícia Judiciária Militar, em comunicado, no dia 18 de outubro de 2017, na Chamusca, a cerca de 20 quilómetros de Tancos.

A investigação do Ministério Público à recuperação do material furtado, designada Operação Húbris, levou à detenção para interrogatório de militares da Polícia Judiciária Militar e da GNR.

Em 25 de setembro, a Polícia Judiciária deteve o diretor e outros três responsáveis da PJM, um civil, e três elementos do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Loulé.

Segundo o Ministério Público, em causa estão "factos suscetíveis de integrarem crimes de associação criminosa, denegação de justiça, prevaricação, falsificação de documentos, tráfico de influência, favorecimento pessoal praticado por funcionário, abuso de poder, recetação, detenção de arma proibida e tráfico de armas".

Entre o material furtado estavam granadas, incluindo antitanque, explosivos de plástico e uma grande quantidade de munições.

O caso levou já à demissão do anterior ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, em 12 de outubro, invocando a necessidade de evitar que as Forças Armadas fossem prejudicadas pelo “ataque político” e as acusações de que afirmou estar a ser alvo.

Já esta semana, na quarta-feira, foi a vez do Chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, pedir a resignação, apenas dois dias depois da tomada de posse do novo ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho.

A Assembleia da República deverá votar e aprovar na próxima semana uma comissão parlamentar de inquérito, proposta pelo CDS-PP, sobre o desaparecimento e reaparecimento de material militar em Tancos.

+ notícias: Política

Operadores da Área Metropolitana do Porto reclamam diferencial do passe único

A Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP) reclamou hoje uma “solução de curtíssimo prazo” para ressarcir os operadores da Área Metropolitana do Porto, que ainda não receberam “nenhum pagamento” pelo diferencial do passe único.

Rui Moreira propõe entrega da STCP à Câmara do Porto em 2024

Rui Moreira propôs ao Governo um modelo para entregar a STCP à Câmara Municipal do Porto em 2024, findo o atual contrato de gestão. O modelo foi proposto num parecer que admite a entrada de outros municípios da região na estrutura accionista da empresa. O guião de procedimentos foi pedido ao escritório de José Pedro Aguiar-Branco, com um novo modelo no qual fica também aberta a porta à participação minoritária dos municípios de Matosinhos, Gaia, Valongo, Gondomar e Maia na futura estrutura acionista de uma empresa local de transportes.

Atualizado 23-05-2019 11:53

Caso Rui Pinto: a opinião dos candidatos das Eleições Europeias

Ao longo desta campanha vários candidatos pronunciaram-se sobre o caso do denunciante Rui Pinto. Enquanto alguns consideraram que a justiça portuguesa devia colaborar com o informático tal como certos países estão a fazer, outros consideraram que este é um não assunto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.