Info

Morreu o sul-africano Pik Botha, ex-chefe da diplomacia do Apartheid

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Joanesburgo, 12 out (Lusa) -- Roelof "Pik" Botha, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da África do Sul durante o regime do Apartheid, morreu em Pretória aos 86 anos, noticiam hoje os órgãos de comunicação social sul africanos.

O filho, Piet Botha, confirmou a morte ao grupo de comunicação social News24 afirmando que o antigo ministro morreu enquanto dormia durante a noite de hoje.

"A mulher, Ina, estava ao seu lado. [Pik Botha] encontrava-se doente há três semanas", disse Piet Botha.

Pik Botha dirigiu a diplomacia sul-africana entre 1977 até ao fim do Apartheid, em 1994, como membro do Partido Nacional que instituiu o regime racista sul-africano em 1948.

Mais tarde integrou o governo de Nelson Mandela, líder do Congresso Nacional Africano (ANC) democraticamente eleito, com a tutela das minas.

Com a alcunha de "Pik" (pinguim), Botha incitou em 1990 o então chefe de Estado Frederik de Klerk a libertar Nelson Mandela que se encontrava preso há 27 anos.

Em 1986, foi severamente repreendido pelo presidente Pieter Willem Botha (sem qualquer relação de parentesco apesar do apelido) por ter afirmado que um dia a África do Sul seria "um Estado governado por um negro".

PSP // SB

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Turquia detém 52 sírios suspeitos de ligação ao Estado Islâmico

A Turquia deteve esta quinta-feira 52 cidadãos sírios suspeitos de ligação ao grupo extremista Estado Islâmico numa operação na cidade de Bursa, a cerca de 100 quilómetros a sul de Istambul, noticia a agência estatal Anadolu.

Democratas e republicanos anunciam acordo provisório sobre muro exigido por Trump

Negociadores democratas e republicanos anunciaram no domingo terem alcançado um princípio de acordo sobre o muro que o Presidente dos Estados Unidos reinvindica na fronteira com o México, mas cuja verba está longe daquela reclamada por Donald Trump.

Filme "Synonymes" de Nadav Lapid venceu Urso de Ouro do Festival de Berlim

Berlim, 16 fev (Lusa) -- O filme "Synonymes", do israelita Nadav Lapid, venceu o Urso de Ouro da 69.ª edição do Festival de Cinema de Berlim, que termina no domingo, foi hoje anunciado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.