Info

Ex-presidente da Águas de Portugal Pedro Serra eleito para Comité da ONU

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 out (Lusa) - O ex-presidente da Águas de Portugal Pedro Cunha Serra foi hoje eleito para o Comité de Implementação da Convenção da Água da ONU, anunciou em comunicado a Agência Portuguesa do Ambiente, que promoveu a candidatura.

A eleição, por unanimidade, ocorreu na reunião das partes da Convenção da Água em Astana, no Cazaquistão.

O Comité de Implementação da Convenção da Água das Nações Unidas acompanha as partes e os candidatos à Convenção em assuntos relacionados com o cumprimento das metas e dos princípios da gestão sustentável da água.

Pedro Cunha Serra foi presidente da empresa Águas de Portugal, do Instituto da Água, do Instituto Regulador de Água e Resíduos e do Instituto das Estradas de Portugal.

Participou nas negociações da Convenção Luso-Espanhola de Albufeira para os rios internacionais ibéricos e nos trabalhos preparatórios da diretiva-quadro da União Europeia da Água e do Plano Nacional da Água.

Atualmente, é consultor do Ministério do Ambiente e coordenador da comissão portuguesa que acompanha a convenção luso-espanhola que gere os rios que atravessam os dois países.

ER // JMR

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Todas as saídas foram a pedido dos próprios ministros - Costa

O primeiro-ministro afirmou hoje que "todos" os ministros agora remodelados - Azeredo Lopes (Defesa), Manuel Caldeira Cabral (Economia), Adalberto Campos Fernandes (Saúde) e Luís Filipe Castro Mendes (Cultura) - pediram para abandonar as suas funções no executivo.

António Costa faz remodelação com novos ministros da Defesa, Economia, Saúde e Cultura

O primeiro-ministro fez este domingo a maior remodelação no Governo, envolvendo quatro ministérios, com a substituição, na Defesa, de Azeredo Lopes por João Gomes Cravinho, e na Economia, de Manuel Caldeira Cabral por Pedro Siza Vieira.

Atualizado 14-10-2018 11:14

Ministro do Ambiente diz que trabalho desenvolvido pelo Governo tem ajudado na prevenção dos incêndios

O Ministro do Ambiente admite que o trabalho de combate e prevenção dos incêndios como os de 2017 é "positivo" mas "demorado". Matos Fernandes garante que apesar disso, o Governo e a sociedade civil têm tido um papel importante na prevenção.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.