Info

Governo quer duplicar número de países com português no básico e secundário

Governo quer duplicar número de países com português no básico e secundário
| Política
Porto Canal com Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, anunciou hoje que o Governo quer "a breve prazo" duplicar o número de países com o português como língua internacional de opção no ensino básico e secundário.

"Neste momento, o número de países em que que há português como língua estrangeira no ensino básico ou secundário é de 20 e o nosso objetivo é duplicar esse número a breve prazo", disse Augusto Santos Silva, na apresentação Pública da Rede de Ensino de Português no Estrangeiro (EPE), no Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, em Lisboa.

O governante assinalou que mais de "300 mil pessoas estudam português" presentemente em todo o mundo, divididos por 70 mil na Língua de Herança, mais de 150 mil no ensino superior e 100 mil pessoas no ensino de português como língua estrangeira de opção.

+ notícias: Política

Hospitais privados desconhecem parecer da PGR e contestam devolução de 38M à ADSE

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) diz desconhecer o parecer da PGR favorável à devolução de 38 milhões ao sistema de saúde da função pública (ADSE), contestam esta posição e vão convocar com urgência uma Assembleia Geral.

Governo quer rever condições de acesso ao ensino doméstico

Uma proposta de portaria pretende apertar as regras de frequência para inscrições no ensino doméstico. O número de alunos nesta situação tem vindo a aumentar mas agora o Governo quer rever as condições de acesso.

Governo aprova projetos de expansão dos metros de Porto e Lisboa

O Conselho de Ministros aprovou hoje os projetos de expansão dos metros de Lisboa e do Porto, que em conjunto representam um investimento de 517 milhões de euros, 190 milhões dos quais comparticipados com fundos europeus, segundo o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.