Info

Objetivos do Reino Unido para reduzir imigração devem ser abolidos após 'brexit'

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 10 ago (Lusa) -- A Confederação da Indústria Britânica (CBI) defendeu hoje que os objetivos do Reino Unido para reduzir a imigração devem ser abolidos após a saída do país da União Europeia, o chamado 'brexit'.

Na opinião da CBI, as empresas precisam de uma nova política de imigração após o 'brexit' que evite a exigência de vistos para os cidadãos comunitários e que enfatize a contribuição económica que os migrantes podem dar no Reino Unido.

Escolas e hospitais deviam receber financiamento adicional em regiões onde há uma alta procura por vagas devido ao aumento da imigração, considera a CBI num relatório intitulado "Aberta e Controlada - Uma Nova Abordagem à Imigração".

A confederação fez esta recomendação numa altura em que permanece a incerteza sobre se Londres e Bruxelas conseguem chegar a um acordo sobre os termos da retirada britânica do bloco europeu - em março de 2019 - e a futura relação comercial entre ambas as partes.

O governador do Banco de Inglaterra, o canadiano Mark Carney, defendeu recentemente que é possível que não haja acordo para a saída do Reino Unido da UE.

O diretor geral da CBI, Josh Hardie, disse hoje que as empresas consultadas - 12 mil de 18 setores diferentes - enfatizaram a importância da imigração e têm um sistema que lhes permite contratar o pessoal de que necessitam.

"Isso não é mais um debate teórico, é sobre o futuro do país e a abertura e o controle (da imigração) não devem ser apresentados como opostos", acrescentou o executivo.

"Muitos setores já enfrentam escassez (de pessoal), de enfermeiras a técnicos de software", sublinhou.

O Reino Unido e a UE pretendem chegar a acordo sobre o quadro das futuras relações bilaterais para o Conselho Europeu de outubro, embora, no momento, existam diferenças em relação à última proposta enviada por Londres a Bruxelas, no passado dia 12 de julho.

Esse plano, conhecido como "Chequers", contempla, entre outras coisas, a criação de um mercado comum de bens e produtos agrícolas, o que levaria a alfândega britânica a arrecadar impostos em nome dos 27, algo que não é bem visto por alguns deputados.

SO // SB

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Greve dos estivadores eventuais de Setúbal adia exportações de porcos para a China

A exportação de suínos portugueses para a China, cujo início estava previsto para dezembro, só deve iniciar-se em janeiro devido ao "tráfego de contentores" provocado pela greve dos estivadores eventuais de Setúbal, disse o diretor da federação de suinicultores.

Trabalhadores dos supermercados em greve na véspera de Natal

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) lançou um pré-aviso de greve dos funcionários dos supermercados para o dia 24 de dezembro, véspera de Natal.

Vários comboios suprimidos no Natal e Ano Novo devido à baixa procura

Mais de duas dezenas de ligações ferroviárias, entre Intercidades e Alfa-Pendulares, serão suprimidas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 01 de janeiro de 2019, à semelhança de anos anteriores, devido à fraca procura.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.