Jornal Diário Jornal das 13

Objetivos do Reino Unido para reduzir imigração devem ser abolidos após 'brexit'

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 10 ago (Lusa) -- A Confederação da Indústria Britânica (CBI) defendeu hoje que os objetivos do Reino Unido para reduzir a imigração devem ser abolidos após a saída do país da União Europeia, o chamado 'brexit'.

Na opinião da CBI, as empresas precisam de uma nova política de imigração após o 'brexit' que evite a exigência de vistos para os cidadãos comunitários e que enfatize a contribuição económica que os migrantes podem dar no Reino Unido.

Escolas e hospitais deviam receber financiamento adicional em regiões onde há uma alta procura por vagas devido ao aumento da imigração, considera a CBI num relatório intitulado "Aberta e Controlada - Uma Nova Abordagem à Imigração".

A confederação fez esta recomendação numa altura em que permanece a incerteza sobre se Londres e Bruxelas conseguem chegar a um acordo sobre os termos da retirada britânica do bloco europeu - em março de 2019 - e a futura relação comercial entre ambas as partes.

O governador do Banco de Inglaterra, o canadiano Mark Carney, defendeu recentemente que é possível que não haja acordo para a saída do Reino Unido da UE.

O diretor geral da CBI, Josh Hardie, disse hoje que as empresas consultadas - 12 mil de 18 setores diferentes - enfatizaram a importância da imigração e têm um sistema que lhes permite contratar o pessoal de que necessitam.

"Isso não é mais um debate teórico, é sobre o futuro do país e a abertura e o controle (da imigração) não devem ser apresentados como opostos", acrescentou o executivo.

"Muitos setores já enfrentam escassez (de pessoal), de enfermeiras a técnicos de software", sublinhou.

O Reino Unido e a UE pretendem chegar a acordo sobre o quadro das futuras relações bilaterais para o Conselho Europeu de outubro, embora, no momento, existam diferenças em relação à última proposta enviada por Londres a Bruxelas, no passado dia 12 de julho.

Esse plano, conhecido como "Chequers", contempla, entre outras coisas, a criação de um mercado comum de bens e produtos agrícolas, o que levaria a alfândega britânica a arrecadar impostos em nome dos 27, algo que não é bem visto por alguns deputados.

SO // SB

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Não param de aumentar os registos de alojamento local

Tem aumentado exponencialmente o número de registos de alojamento local em Portugal. Os proprietários estão a aproveitar enquanto a nova lei não entra em vigor. Com as novas regras, as autarquias passam a ter mais poderes e podem inclusive criar zonas nas cidades sem este tipo de alojamento.

Menos turistas estrangeiros reduzem dormidas nos hotéis em 2,9% em junho

As dormidas na hotelaria diminuíram 2,9% em junho em termos homólogos, devido sobretudo aos turistas estrangeiros que pernoitaram menos 5,1% nos hotéis portugueses nesse mês, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Portugal ascende ao 2º lugar dos países que mais fundos recebem de Bruxelas

Portugal recebeu, em três anos, 5,7 mil milhões de euros da Comissão Europeia, ascendendo ao segundo lugar entre os Estados-membros que mais fundos comunitários receberam até junho, segundo dados revelados por Bruxelas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Olá Maria!

Trend(i) - diferentes tipos de bolsas...

N'Agenda

Exposição 'Amor com amor...