Info

Operação Lex: Supremo decreta suspensão de funções a juízes Rangel e Galante

Operação Lex: Supremo decreta suspensão de funções a juízes Rangel e Galante
| País
Porto Canal com Lusa

Os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante ficaram esta quarta-feira suspensos de funções e proibidos de contactar com um grupo de pessoas do processo Operação Lex, em que ambos são arguidos, anunciaram os seus advogados.

No final de um interrogatório judicial, o conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) com funções de juiz de instrução decidiu também aplicar como medida de coação a Rui Rangel o pedido de autorização para se ausentar para o estrangeiro, em virtude de possuir dupla nacionalidade, segundo João Nabais, advogado do magistrado.

Além daquelas medidas de coação, os dois juízes desembargadores continuam sujeitos a termo de identidade e residência.

Um comunicado da Procuradoria-Geral da República, hoje divulgado, indica que "neste inquérito investigam-se suspeitas de crimes de tráfico de influência, de corrupção/recebimento indevido de vantagem, de branqueamento e de fraude fiscal".

O processo tem 13 arguidos, incluindo o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e é dirigido pelo Ministério Público junto do STJ.

+ notícias: País

Quatro distritos do continente sob aviso amarelo devido à chuva

Quatro distritos de Portugal continental estão esta terça-feira sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, e possibilidade de trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Mais de 500 toneladas de medicamentos apreendidas em megaoperação em 116 países

Mais de 500 toneladas de medicamentos foram apreendidas numa megaoperação envolvendo autoridades policiais, alfandegárias e de saúde de 116 países, incluindo Portugal, e que resultaram em 859 detenções, revelou esta terça-feira a Interpol.

Guardas prisionais iniciam greve de três dias e exigem cumprimento de promessa do Governo

Os guardas prisionais iniciaram às 00h00 desta terça-feira uma greve de três dias e juntam-se na sexta-feira à paralisação da função pública, reivindicando questões ligadas à carreira e o cumprimento da promessa da tutela sobre revisão do estatuto profissional.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS