Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Euribor mantêm-se a 3, 6 e 12 meses e sobem a 9 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 nov (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e 12 meses e subiram a nove meses, em relação a segunda-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje, pela décima sessão consecutiva, a ser fixada em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, também se manteve hoje em -0,275%, contra -0,276%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de outubro.

A nove meses, a Euribor foi hoje fixada em -0,218%, mais 0,001 pontos do que na segunda-feira e contra o atual mínimo de sempre, de -0,224, registado pela primeira vez em 27 de outubro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, voltou a ser fixada, pela quinta sessão consecutiva, em -0,191%, atual mínimo de sempre, verificado pela primeira vez em 3 de novembro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Preços da habitação aumentam 12,2% no 1º trimestre, maior subida em oito anos

Os preços da habitação aumentaram 12,2% até março, em termos homólogos, pelo quinto trimestre consecutivo, acelerando face à subida de 10,5% do trimestre anterior e crescendo ao ritmo mais alto em pelo menos oito anos, divulgou hoje o INE.

Municípios periféricos de Lisboa com aumento da procura e do preço das casas

Os municípios de Oeiras, Amadora e Odivelas, situados na periferia da cidade de Lisboa, vivem hoje uma nova dinâmica no setor da habitação, com o aumento da procura e do preço dos imóveis, verificando-se o retomar da construção.

TAP garante que está a trabalhar para aumentar a pontualidade no aeroporto Francisco Sá Carneiro

Em reação ao relatório do Tribunal de Contas, o Ministro do Parlamento e das Infraestruturas garantiu que "não está prevista qualquer injeção de dinheiro" na TAP e que o Estado tem a mesma responsabilidade que qualquer acionista. Do lado da TAP, o presidente executivo diz que não há nenhuma área de negócios que não implique riscos, e que a empresa não é exceção.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.