Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Eurostat confirma défice de 2,0% do PIB em 2016 para Portugal

Eurostat confirma défice de 2,0% do PIB em 2016 para Portugal
| Economia
Porto Canal com Lusa

O Eurostat confirmou esta segunda-feira que o défice orçamental de Portugal ficou, em 2016, nos 2% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto a dívida pública (130,1% do PIB) continua a ser a terceira maior da União Europeia (UE).

Na segunda notificação para 2016 dos défices e dívidas públicos dos Estados-membros, o Eurostat confirma que o défice de Portugal foi, no ano passado, de 2% do PIB, abaixo dos 4,4% de 2015.

A dívida pública portuguesa, evoluiu no sentido contrário, tendo subido dos 128,0% em 2015 para os 130,1% em 2016.

Na zona euro, o rácio do défice público em relação ao PIB baixou na zona euro, dos 2,1% em 2015 para 1,5% em 2016, e na UE, de 2,4% para 1,7%.

A dívida pública na zona euro foi de 88,9% do PIB em 2016 (89,9% em 2015) e de 83,2% nos 28 Estados-membros (84,5% no ano anterior).

Luxemburgo (1,6%), Malta e Suécia (1,1% cada), Alemanha (0,8%), República Checa (0,7%), Grécia e Chipre (0,5%), Holanda (0,4%) e Lituânia (0,3%) registaram excedentes orçamentais em 2016.

Os défices mais baixos foram observados na Estónia (0,3%), na Dinamarca (0,6%), na Irlanda (0,7%) e Croácia (0,9%) e três Estados-membros apresentaram um défice acima dos 3,0% do PIB: Espanha (4,5%), França (3,4%) e Roménia (3,0%).

Em 2016, os valores mais altos da dívida registaram-se na Grécia (180,8%), em Itália (132,0%), em Portugal (130,1%), no Chipre (107,1%) e na Bélgica (105,7%), num total de 16 Estados-membros com um rácio superior a 60% do PIB.

As dívidas públicas mais baixas ao PIB observaram-se na Estónia (9,4%), no Luxemburgo (20,8%), na Bulgária (29,0%), na República Checa (36,8%), na Roménia (37,6%) e na Dinamarca (37,7%).

+ notícias: Economia

Preços da habitação aumentam 12,2% no 1º trimestre, maior subida em oito anos

Os preços da habitação aumentaram 12,2% até março, em termos homólogos, pelo quinto trimestre consecutivo, acelerando face à subida de 10,5% do trimestre anterior e crescendo ao ritmo mais alto em pelo menos oito anos, divulgou hoje o INE.

Municípios periféricos de Lisboa com aumento da procura e do preço das casas

Os municípios de Oeiras, Amadora e Odivelas, situados na periferia da cidade de Lisboa, vivem hoje uma nova dinâmica no setor da habitação, com o aumento da procura e do preço dos imóveis, verificando-se o retomar da construção.

TAP garante que está a trabalhar para aumentar a pontualidade no aeroporto Francisco Sá Carneiro

Em reação ao relatório do Tribunal de Contas, o Ministro do Parlamento e das Infraestruturas garantiu que "não está prevista qualquer injeção de dinheiro" na TAP e que o Estado tem a mesma responsabilidade que qualquer acionista. Do lado da TAP, o presidente executivo diz que não há nenhuma área de negócios que não implique riscos, e que a empresa não é exceção.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.