Info

Ex-trabalhadores dos estaleiros de Viana em Lisboa para exigir regime de exceção

| Norte
Porto Canal com Lusa

Viana do Castelo, 28 abr (Lusa) - Os ex-trabalhadores dos estaleiros de Viana do Castelo deslocam-se hoje a Lisboa para exigir ao Governo um regime de exceção para os antigos funcionários que, até maio, perdem o subsídio de desemprego.

Em causa estão "cerca de uma centena de ex-trabalhadores que, até maio, ficam sem subsídio de desemprego e qualquer apoio social por não terem atingido os 57 anos exigidos pela lei para requererem a reforma antecipada por desemprego prolongado".

A ação vai realizar-se, às 14:30, junto ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A comissão representativa dos ex-trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) anunciou que vai entregar um documento dirigido a Vieira da Silva, "onde pretende sensibilizar para o problema" que afeta aqueles antigos funcionários da empresa pública de construção naval.

ABYC // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Greve do Metro do Porto desconvocada após acordo

A greve na Metro do Porto, marcada para os dias 17 e 31 de dezembro, foi desconvocada depois de a empresa ter chegado a acordo com o Sindicato dos Maquinistas de Caminho-de-Ferro, anunciou hoje aquela estrutura.

Reclusos de Paços de Ferreira provocaram desacatos contra greve dos guardas prisionais

Os reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira provocaram hoje de manhã desacatos em protesto contra o incumprimento dos serviços mínimos decretados para a greve dos guardas prisionais, avançou à Lusa a Associação de Apoio ao Recluso.

Familiares dos reclusos da Custóias contestam os horários das visitas de natal

Os familiares dos reclusos da Custóias protestaram esta quarta-feira à tarde junto ao estabelecimento prisional. Em causa estão as visitas e o almoço no dia de Natal que estão comprometidas devido à greve dos guardas prisionais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.