Info

CPLP manifesta "profundo pesar" pelo falecimento

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 09 jan (Lusa) - A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) manifestou hoje em nota de imprensa publicada na sua página na Internet, "profundo pesar pelo falecimento do Presidente Mário Soares".

"Ao transmitir as mais sentidas condolências ao povo português pela perda de seu eminente cidadão, a CPLP exalta o histórico papel desempenhado pelo Presidente Mário Soares no estreitamento da amizade, do diálogo político e da integração entre os países de língua oficial portuguesa, que culminou com a constituição da Organização, em 17 de julho de 1996", lê-se na nota.

A organização "saúda o exemplo de homem público e estadista deixado pelo Presidente Mário Soares, que continuará a inspirar gerações de cidadãos falantes da língua portuguesa".

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira.

O corpo do antigo Presidente da República está em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos desde as 13:10 de hoje, depois de ter sido saudado por milhares de pessoas à passagem do cortejo fúnebre pelas principais ruas da capital com escolta a cavalo da GNR.

O funeral realiza-se na terça-feira, pelas 15:30, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, após passagem do cortejo fúnebre pelo Palácio de Belém, Assembleia da República, Fundação Mário Soares e sede do PS, no Largo do Rato.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, advogado, combateu a ditadura do Estado Novo e foi fundador e primeiro líder do PS.

Após a revolução do 25 de Abril de 1974, regressou do exílio em França e foi ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, tendo pedido a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e assinado o respetivo tratado, em 1985.

Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

EL // SMA

Lusa/Fim

+ notícias: País

Seis mortos e 11 desaparecidos incluindo duas portuguesas no naufrágio em São Tomé e Príncipe

Seis pessoas morreram e 11 estão desaparecidas, incluindo duas portuguesas e um francês, após um naufrágio de um navio em São Tomé e Príncipe, disseram à agência Lusa fontes governamentais.

25 de abril: a luta clandestina contra o regime feita através do papel

Foi das mãos de Faustina Barradas que saíram milhares de documentos do PCP que deram origem a muitas manifestações e indicações contra o regime. Tinta, letras em chumbo e prelo serviam para imprimir documentos clandestinos antes da revolução.

25 de abril: a história da coragem da eleição de um sindicato sem qualquer ligação ao regime

No inicio da década de 70, a luta de trabalhadores começava mais força, perante um um Estado Novo cada vez mais enfraquecido. A primeira vez que um sindicato conseguiu eleger um direção sem qualquer ligação ao regime foi no Porto. O presidente do sindicato dos metalúrgicos à época falou com o Porto Canal e conta-nos como foi possível ganhar esta luta.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS