Percussionista Nuno Aroso estreia obra do compositor Jaime Reis na Coreia do Sul

| País
Porto Canal com Lusa

Redação, 11 ago (Lusa) -- O percussionista Nuno Aroso estreia, na Coreia do Sul, no festival de música eletroacústica a decorrer este fim de semana, a obra "Sketch for Omniscience is a Collective - part IV", de Jaime Reis, disse hoje o compositor à agência Lusa.

A obra, a interpretar pelo percussionista, com doutoramento em música contemporânea para percussão pela Universidade Católica, faz parte da programação do festival de música eletroacústica a decorrer de sexta-feira a domingo, em Seul, acrescentou Jaime Reis.

A composição a estrear por Nuno Aroso sucede às três primeiras partes da obra: a primeira foi estreada em 2009, pelos Blasted Mechanism, a segunda, na China, por uma orquestra eletrónica dirigida pelo maestro André Granjo, e uma terceira, estreada no ano passado, no Brasil, com interpretação da pianista Ana Teles, referiu Jaime Reis.

Em setembro, Jaime Reis, que faz parte da direção do festival Dias de Música Electróacústica (DME), que teve a primeira edição na Polónia, em 2006, e se estendeu a difrentes cidades de Portugal e de outros países europeus, da Ásia e do Brasil, fará uma nova digressão pela Europa, com espetáculos na Ucrânia, Holanda e República Checa, disse o compositor à agência Lusa.

A digressão terá início na capital ucraniana, Kiev, onde, de 05 a 10 de setembro, Jaime Reis participará em oficinas de trabalho integradas no festiva Kyiv Contemporary Music Days, numa parceria com o Festival Dias de Música Electroacústica.

De 12 a 16 de setembro, Jaime Reis estará em Utrecht, onde participará na conferência International Computer Music (ICMC), que decorrerá nas instalações da Universidade das Artes da cidade holandesa.

Naquela conferência internacional, ICMC, Jaime Reis também irá interpretar a sua peça "Jeux de L'Espace".

Dias 16 e 17 de setembro, o compositor português participará no 4.º Fórum Internacional de Jovens Compositores, em Vila do Conde, organizado pela associação Miso Music.

Nesta iniciativa, Jaime Reis irá falar sobre a sua obra "Sangue Inverso", a interpretar pelo Sond'Ar-te Electric Ensemble.

De 20 a 25 de setembro, o compositor estará em Praga, na República Checa, para participar no European Double Bass Congress (BASS2016), onde, com Duo Contracello, dará um recital com temas de compositores portugueses e espanhóis contemporâneos, no qual estreará a sua obra "Fluxus, Drag".

Jaime Reis, nascido em 1983, concluiu a licenciatura na Universidade de Aveiro, em 2006, onde estudou composição e música eletrónica com Isabel Soveral e João Pedro Oliveira. É doutorando em Ciências Musicais, na Universidade Nova de Lisboa, ensina na Escola de Música de Nossa senhora do Cabo e no Conservatório de Música de Seia, no qual faz parte da direção pedagógica.

Trabalhou com Emmanuel Nunes, frequentou os cursos de verão de Karlheinz Stockhausen (em Kürten) e foi distinguido, desde o início da sua carreira, em diferentes concursos nacionais e internacionais, tendo sido selecionado para várias edições do Workshop Gulbenkian para Jovens Compositores Portugueses.

A sua música tem sido interpretada em festivais e salas de concerto de Portugal, Polónia, Turquia França, Áustria, Bélgica. Foi selecionada para a ICMC/Barcelona.

Jaime Reis recebeu, da Universidade de Aveiro, duas bolsas por mérito e a bolsa da Fundação Engenheiro António de Almeida, por ter sido o melhor aluno a concluir a licenciatura, em 2006.

Foi compositor residente no LEC - Laboratório Electroacústico de Criação -- da Miso Music Portugal.

CP // MAG

Lusa/fim

+ notícias: País

Governo anuncia novo investimento no SIRESP para assegurar comunicações satélite

O SIRESP vai ter um novo investimento de 4,2 milhões de euros em equipamentos de redundância para assegurar as comunicações via satélite em caso de falha dos circuitos terrestres, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna.

Autarca da Guarda diz que fogo em Aldeia Viçosa está "descontrolado"

O incêndio que deflagrou em Mizarela, pelas 15:36, está "descontrolado, tendo em conta os ventos fortes e a localização na encosta", admitiu à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal da Guarda.

Costa recupera gasoduto chumbado em 2018. Novo traçado no Alto Douro Vinhateiro é incógnita

O pedido foi feito pelo Chanceler alemão e Portugal apressou-se a responder. A Europa quer reduzir, ainda mais, a dependência do gás da Rússia e para isso precisa de um novo gasoduto. António Costa garante que “o percurso já está definido” e que os trabalhos estão “muito avançados”. Mas, a verdade é que o projeto existente para a ligação entre Celorico da Beira, na Guarda e Vilar de Frades, em Bragança, foi rejeitado, em 2018, na Avaliação de Impacte Ambiental da Agência Portuguesa do Ambiente.