Info

Percussionista Nuno Aroso estreia obra do compositor Jaime Reis na Coreia do Sul

| País
Porto Canal com Lusa

Redação, 11 ago (Lusa) -- O percussionista Nuno Aroso estreia, na Coreia do Sul, no festival de música eletroacústica a decorrer este fim de semana, a obra "Sketch for Omniscience is a Collective - part IV", de Jaime Reis, disse hoje o compositor à agência Lusa.

A obra, a interpretar pelo percussionista, com doutoramento em música contemporânea para percussão pela Universidade Católica, faz parte da programação do festival de música eletroacústica a decorrer de sexta-feira a domingo, em Seul, acrescentou Jaime Reis.

A composição a estrear por Nuno Aroso sucede às três primeiras partes da obra: a primeira foi estreada em 2009, pelos Blasted Mechanism, a segunda, na China, por uma orquestra eletrónica dirigida pelo maestro André Granjo, e uma terceira, estreada no ano passado, no Brasil, com interpretação da pianista Ana Teles, referiu Jaime Reis.

Em setembro, Jaime Reis, que faz parte da direção do festival Dias de Música Electróacústica (DME), que teve a primeira edição na Polónia, em 2006, e se estendeu a difrentes cidades de Portugal e de outros países europeus, da Ásia e do Brasil, fará uma nova digressão pela Europa, com espetáculos na Ucrânia, Holanda e República Checa, disse o compositor à agência Lusa.

A digressão terá início na capital ucraniana, Kiev, onde, de 05 a 10 de setembro, Jaime Reis participará em oficinas de trabalho integradas no festiva Kyiv Contemporary Music Days, numa parceria com o Festival Dias de Música Electroacústica.

De 12 a 16 de setembro, Jaime Reis estará em Utrecht, onde participará na conferência International Computer Music (ICMC), que decorrerá nas instalações da Universidade das Artes da cidade holandesa.

Naquela conferência internacional, ICMC, Jaime Reis também irá interpretar a sua peça "Jeux de L'Espace".

Dias 16 e 17 de setembro, o compositor português participará no 4.º Fórum Internacional de Jovens Compositores, em Vila do Conde, organizado pela associação Miso Music.

Nesta iniciativa, Jaime Reis irá falar sobre a sua obra "Sangue Inverso", a interpretar pelo Sond'Ar-te Electric Ensemble.

De 20 a 25 de setembro, o compositor estará em Praga, na República Checa, para participar no European Double Bass Congress (BASS2016), onde, com Duo Contracello, dará um recital com temas de compositores portugueses e espanhóis contemporâneos, no qual estreará a sua obra "Fluxus, Drag".

Jaime Reis, nascido em 1983, concluiu a licenciatura na Universidade de Aveiro, em 2006, onde estudou composição e música eletrónica com Isabel Soveral e João Pedro Oliveira. É doutorando em Ciências Musicais, na Universidade Nova de Lisboa, ensina na Escola de Música de Nossa senhora do Cabo e no Conservatório de Música de Seia, no qual faz parte da direção pedagógica.

Trabalhou com Emmanuel Nunes, frequentou os cursos de verão de Karlheinz Stockhausen (em Kürten) e foi distinguido, desde o início da sua carreira, em diferentes concursos nacionais e internacionais, tendo sido selecionado para várias edições do Workshop Gulbenkian para Jovens Compositores Portugueses.

A sua música tem sido interpretada em festivais e salas de concerto de Portugal, Polónia, Turquia França, Áustria, Bélgica. Foi selecionada para a ICMC/Barcelona.

Jaime Reis recebeu, da Universidade de Aveiro, duas bolsas por mérito e a bolsa da Fundação Engenheiro António de Almeida, por ter sido o melhor aluno a concluir a licenciatura, em 2006.

Foi compositor residente no LEC - Laboratório Electroacústico de Criação -- da Miso Music Portugal.

CP // MAG

Lusa/fim

+ notícias: País

Miocardite por infeção é 60 vezes mais frequente do que após vacina contra a Covid-19

A miocardite por infeção com SARS-CoV-2 é 60 vezes mais frequente do que após a vacinação e pode ter sintomas mais graves e complicações e sequelas a curto prazo, refere um parecer técnico hoje divulgado.

Denúncias de cibercrimes duplicaram em 2021

As denúncias de cibercrimes duplicaram no ano passado, chegando às 1.160, mais do dobro do ano anterior, segundo os números divulgados pelo Gabinete de Cibercrime da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.