Info

Governo avança com redução da TSU com vista a alcançar acordo sobre SMN

Governo avança com redução da TSU com vista a alcançar acordo sobre SMN
| Política
Porto Canal

O Governo vai avançar com a redução da Taxa Social Única (TSU) de 0,75 pontos percentuais para todas as empresas que tenham trabalhadores que ganhem o salário mínimo nacional (SMN), anunciou hoje o ministro do Trabalho, confiante num acordo.

Com a introdução desta medida estão criadas as condições para que Governo e parceiros sociais assinem um acordo em sede de concertação social no próximo dia 22 de fevereiro, mas que não incluirá a CGTP.

A 23 de dezembro, o Governo aprovou, em Conselho de Ministros, a subida do SMN para os 530 euros a partir de 01 janeiro deste ano, mas sem o acordo entre o executivo e os parceiros sociais.

O facto de não ter sido possível chegar a um consenso levou a que o Governo tenha decidido não manter para 2016 a manutenção do apoio [do desconto de 0,75 pontos percentuais] em sede de TSU para os salários que estivessem atualmente abaixo dos 520 euros.

No entanto, nesse mesmo dia, o ministro Vieira da Silva assegurou que continuava "a funcionar na concertação social um trabalho no sentido de procurar um acordo de médio prazo para o SMN", tendo alguns parceiros contactado a tutela no sentido de "voltar a colocar o acordo para 2016".

Assim, o acordo sobre esta matéria poderá não estar ainda fechado, segundo o governante, "com os dois lados (empresários e sindicatos) a manifestar interesse" nesse sentido, disse ainda Vieira da Silva no dia da aprovação da medida.

O Governo apresentou aos parceiros sociais uma proposta de aumento do SMN para a legislatura, começando pelos 530 euros este ano e terminando nos 600 euros em 2019.

O SMN esteve congelado nos 485 euros entre 2011 e outubro de 2014, quando aumentou para os 505 euros, na sequência de um acordo estabelecido entre o Governo, as confederações patronais e a UGT.

+ notícias: Política

Com os votos contados, PS vence com pior resultado que em 2013 e PSD conquista 113 câmaras

Com a totalidade dos votos contados, o PS conquistou 148 câmaras em listas próprias, menos uma que em 2013, e o PSD conseguiu distanciar-se dos mínimos históricos de 2013 e 2017, assumindo a presidência de 113 municípios.

PS sai como "maior partido" do Porto e com "grande motivação" para os próximos 4 anos

O cabeça de lista do PS à Câmara do Porto afirmou hoje que o partido sai, naquele que considerou um "combate muito exigente", como "o maior partido da cidade" e com "grande motivação para enfrentar os próximos quatro anos".

Coligação Juntos por Braga reeleita para terceiro mandato com maioria absoluta

A coligação Juntos por Braga, liderada por Ricardo Rio, foi reeleita este domingo para um terceiro mandato na presidência da Câmara de Braga, segundo os dados provisórios do Ministério da Administração Interna.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.