Info

Licenciatura não é válida mas Sócrates mantém título de engenheiro

Licenciatura não é válida mas Sócrates mantém título de engenheiro
| Política
Porto Canal (LYC)

O curso superior do ex-primeiro-ministro, José Sócrates, foi considerado nulo, mas o seu título de engenheiro mantém-se, avançou o Correio da Manhã, esta quarta-feira.

Segundo o mesmo jornal, as equivalências dadas em diversas disciplinas na Universidade Independente, a José Sócrates, são ilegais, uma vez que foram realizadas por um órgão sem competência legal para tal. No entanto, o princípio de segurança jurídica está acima das questões legais e, por isso, este permanece com o título de engenheiro.

O CM teve acesso ao despacho do Ministério Público junto do Tribunal Administrativo de Lisboa, no qual é dito que “no caso verificou o incumprimento de todo o procedimento legalmente exigido para a atribuição da equivalência”, o que “carreta a nulidade dos atos subsequentes”. Sendo assim, “todo o percurso académico “ nomeadamente “o ato de atribuição das suas licenciaturas” são nulos.

Contudo, Sócrates continua a ser engenheiro. Segundo o Ministério Público, o princípio de segurança jurídica sobrepõe-se à legalidade, ou seja, se o título fosse retirado ao antigo primeiro-ministro, vários estudantes da Universidades Independente, que estão na mesma situação, poderiam ver “cassados os seus diplomas”.

 

+ notícias: Política

Rui Rio confessa que se fosse Primeiro-Ministro teria que avaliar se Marta Temido manteria o cargo

Rui Rio, líder do PSD, afirmou, em entrevista ao Porto Canal, que se fosse Primeiro-Ministro "precisava de obter mais informações relativamente entre a sintonia de Marta Temido e os serviços" para tomar uma decisão se esta continuava a ser ministra da Saúde. Sublinhou ainda que a "pandemia está à beira de pandemónio" e que "não tem funcionado bem".

Rui Rio afirma ser a favor da nacionalização da Efacec mas com intuito de "vender a posição a um privado"

Rui Rio, líder do PSD, afirmou, em entrevista ao Porto Canal, que é a favor da nacionalização da Efacec "com o intuito que num relativamente curto espaço de tempo seja para vender a posição a um privado".

OE2020: António Costa desvaloriza voto contra do PCP e PEV dizendo que foi "exceção"

O primeiro-ministro considerou hoje que PCP e PEV fizeram uma avaliação "incorreta" do Orçamento Suplementar, mas defendeu que se tratou de "uma exceção que confirmou a regra", salientando a abertura destes partidos para negociarem o próximo Orçamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.