Info

Grande maioria dos portugueses não usa fio dentário na higiene oral

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 27 nov (Lusa) -- A grande maioria da população portuguesa nunca utiliza o fio dentário na sua higiene oral, segundo dados de um estudo nacional feito pela Direção-Geral da Saúde (DGS) em colaboração com a Ordem dos Médicos Dentistas.

O III Estudo Nacional de Prevalência das Doenças Orais, a que a agência Lusa teve acesso, foi realizado em cinco grupos etários representativos da população regional e nacional portuguesa, de acordo com critérios recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O uso do fio dentário, recomendado pelos profissionais numa base diária, verifica-se sobretudo nos adultos dos 35 aos 44 anos, grupo onde ainda assim mais de metade diz que não o utiliza.

De acordo com o estudo da DGS, no grupo das crianças de 12 anos, mais de 68% não utiliza fio dentário e apenas 5,9% o usa numa base diária.

Aos 18 anos, 65% dos jovens não tem o hábito de recorrer ao fio dentário, enquanto nos idosos dos 65 aos 74 anos essa percentagem sobre para os 82%.

"Há alguma resistência a usar o fio dentário. Mas é recomendado uma vez por dia, idealmente ao deitar, aquando da escovagem. As crianças, sobretudo a partir dos 8 anos, também o devem usar", explicou à Lusa Cristina Sousa Ferreira, higienista oral da DGS e uma das investigadoras do estudo nacional.

Quanto à escovagem dos dentes, em relação a estudos anteriores há um aumento de população que indica lavar os dentes pelo menos duas vezes por dia.

O grupo etário com maior percentagem de pessoas que escova os dentes mais de duas vezes diariamente é o dos 18 anos e com níveis mais baixos são os idosos e as crianças de seis anos.

"Estes dados mostram-nos que é necessário um investimento contínuo na prevenção na saúde oral", sublinhou Cristina Sousa Ferreira.

ARP//GC

Lusa/fim

+ notícias: País

Nova subida de internados em dia com 44 mortes e 32.758 novas infeções por Covid-19

Portugal registou 32.758 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, mais 44 mortes associadas à covid-19 e um novo aumento dos internamentos, indicam os números divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal ultrapassa "nível crítico" de gravidade da pandemia. Resposta de saúde a pessoas com outras doenças começa a ficar comprometida

Portugal ultrapassou o nível crítico no indicador de avaliação da pandemia do Instituto Superior Técnico e da Ordem dos Médicos, o que indica que a resposta de saúde a pessoas com outras doenças começa a ficar comprometida.

Aberto autoagendamento de vacinas para pessoas com 30 ou mais anos

O autoagendamento da toma da dose de reforço da vacina contra a covid-19 já está disponível para utentes com 30 ou mais anos no portal das marcações `online´ da Direção-Geral da Saúde, foi hoje anunciado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.