Antigo Aleixo (re)nasce com promessa de habitação acessível

Antigo Aleixo (re)nasce com promessa de habitação acessível
| Porto
Porto Canal/Agências

A Câmara Municipal do Porto aprovou esta quarta-feira a abertura da discussão pública da delimitação da Unidade de Execução do Aleixo para onde está prevista a construção de edifícios em altura e de um parque verde.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

 

“Chegou-se então a uma solução urbanística que aposta na construção em altura por forma a libertar terreno para zonas verdes e arruamentos”, explicou o vereador com o pelouro do Urbanismo, Pedro Baganha, no final da reunião do executivo municipal.

O vereador explicou que o Plano Diretor Municipal (PDM) aprovado em 2021 determinou que a zona do Aleixo é uma Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (UOPG), o que significa que tem de haver uma concertação entre todos os proprietários daqueles terrenos que, neste caso, são três, um dos quais a câmara municipal.

O objetivo passa por construir edifícios mais altos, libertando espaços para a construção de um parque verde e de arruamentos, explicou.

“Pelas minhas contas estamos a falar de cinco torres e depois dois blocos mais pequenos”, especificou Pedro Baganha.

Os blocos destinados à autarquia deverão ser para habitação acessível, sublinhou.

“Tendo em consideração que estamos a falar de 14.000 metros quadrados que ficarão na propriedade da câmara, e que não são entregues ao Invesurb - Fundo Especial de Investimento Imobiliário, eu diria que estamos a falar de qualquer coisa entre 140 a 150 focos”, especificou o vereador do Urbanismo.

O bairro do Aleixo era constituído por cinco torres, a torre 5 foi demolida em 2011 e em 2013, no último mandato de Rui Rio como presidente da Câmara do Porto, foi demolida a torre 4.

O processo de desmontagem das três torres restantes arrancou em junho de 2019, tendo ficado concluído ainda antes do cronograma definido, que apontava o fim dos trabalhos para o mês de dezembro.

Em novembro de 2022, a Câmara do Porto aprovou o aumento de capital de participação do Invesurb em 21,48%, acompanhando o aumento com o montante de 483.300 euros.

A quarta modificação ao contrato com o Invesurb - Fundo Especial de Investimento Imobiliário pressupõe que a autarquia construa habitações sociais nas Eirinhas e no Bairro do Leal e o fundo financie a operação.

+ notícias: Porto

“Um verdadeiro rali”. Boavista é palco de corridas ilegais em plena luz do dia

A proximidade ao centro da cidade, a densificada rede de transportes e a diversidade de serviços fazem da Boavista uma das zonas mais cobiçadas do Porto. E é nas ruas adjacentes à Avenida da França que nas últimas semanas têm decorrido corridas de alta velocidade que, de acordo com os relatos dos moradores, são organizadas por pessoas em situação de sem abrigo que pernoitam nas imediações.

Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado

A Comissão Política Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado com o deputado Alberto Machado, que se recandidata à liderança, e Francisco Carvalho, líder de bancada do PSD na Assembleia de Freguesia de Ramalde.

Proteção de dados “trava” aquisição de mais 117 câmaras de videovigilância no Porto

A Câmara Municipal do Porto ainda não conseguiu adquirir as 117 novas câmaras de videovigilância para as quais lançou um concurso público há cerca de um ano. Em causa está a falta de um parecer da Comissão Nacional da Proteção de Dados (CNPD), o que tem impedido o Tribunal de Contas de dar ‘luz verde’ ao município.