APDL esclarece que “nunca esteve em causa” retirar os feirantes do cais da Ribeira

APDL esclarece que “nunca esteve em causa” retirar os feirantes do cais da Ribeira
| Porto
Porto Canal / Agências

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) esclareceu esta quarta-feira que “nunca esteve em causa a retirada” dos feirantes da ribeira do Porto, depois de ter pedido à junta de freguesia para cancelar as licenças.

“Nunca esteve em causa a retirada da venda ambulante da ribeira do Porto até porque essa matéria é da competência da Câmara Municipal [do Porto], mas apenas garantir o enquadramento legal da ocupação do domínio público”, esclareceu a APDL, em comunicado enviado à Lusa.

Esta manhã, durante a reunião pública extraordinária do executivo municipal, o presidente da Câmara do Porto garantiu que os vendedores ambulantes poderão continuar com a sua atividade na ribeira, apesar de a APDL ter pedido o cancelamento das licenças numa carta à junta de freguesia.

“Tivemos conhecimento dessa missiva que a APDL enviou à União de Freguesias do Centro Histórico do Porto [a pedir o cancelamento das licenças] e eu quero dizer e tranquilizar as pessoas de que a APDL não tem razão”, afirmou o independente Rui Moreira, depois de questionado pelo deputado do BE, Sérgio Aires.

O bloquista questionava Rui Moreira na sequência de uma notícia avançada esta quarta-feira pelo Jornal de Notícias (JN) que dá conta de que a “APDL quer tirar vendedores ambulantes da ribeira do Porto”.

Na missiva da APDL à União de Freguesias do Centro Histórico do Porto, e a que a Lusa teve esta quarta-feira acesso, lê-se: “Reiteramos a necessidade do cancelamento das licenças de ocupação com vendas ambulantes e feirantes emitidas”.

Segundo o autarca, esta posição da APDL é resultado da “obsessão de uma senhora administradora que resolveu fazer guerra à câmara”.

Perante isto, e ainda em comunicado, a APDL salientou manter uma “boa relação institucional com a Câmara do Porto”.

“Trabalhará em conjunto com a autarquia no sentido de se encontrar a melhor solução para a resolução em definitivo desta questão”, assumiu.

+ notícias: Porto

“Um verdadeiro rali”. Boavista é palco de corridas ilegais em plena luz do dia

A proximidade ao centro da cidade, a densificada rede de transportes e a diversidade de serviços fazem da Boavista uma das zonas mais cobiçadas do Porto. E é nas ruas adjacentes à Avenida da França que nas últimas semanas têm decorrido corridas de alta velocidade que, de acordo com os relatos dos moradores, são organizadas por pessoas em situação de sem abrigo que pernoitam nas imediações.

Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado

A Comissão Política Concelhia do PSD do Porto vai a votos no sábado com o deputado Alberto Machado, que se recandidata à liderança, e Francisco Carvalho, líder de bancada do PSD na Assembleia de Freguesia de Ramalde.

Proteção de dados “trava” aquisição de mais 117 câmaras de videovigilância no Porto

A Câmara Municipal do Porto ainda não conseguiu adquirir as 117 novas câmaras de videovigilância para as quais lançou um concurso público há cerca de um ano. Em causa está a falta de um parecer da Comissão Nacional da Proteção de Dados (CNPD), o que tem impedido o Tribunal de Contas de dar ‘luz verde’ ao município.