Vereador da Câmara de Matosinhos defende mais policiamento noturno no concelho

Vereador da Câmara de Matosinhos defende mais policiamento noturno no concelho
| Política
Porto Canal / Agências

O vereador da Câmara de Matosinhos António Parada defendeu esta quarta-feira mais policiamento noturno no concelho, considerando que a Polícia Municipal "deixa de ser vista pelos matosinhenses" à noite, altura em que diz haver mais assaltos.

Na reunião de câmara que decorreu hoje, o Movimento António Parada Sim (MAPS) "exigiu ao executivo municipal um patrulhamento efetivo e visível dos espaços públicos do concelho por parte da Polícia Municipal", de acordo com um comunicado hoje divulgado.

"A verdade é que durante o dia a presença da Polícia Municipal no concelho é visível, no entanto, com o pôr-do-sol esta força policial deixa de ser vista pelos matosinhenses", refere o vereador.

Para o vereador, "um patrulhamento e uma vigilância ativa e visível no período noturno, por parte da Polícia Municipal, nas respetivas áreas de atuação, terá como objetivo dissuadir e prevenir a prática de crimes e atos de vandalismo contra o património público e privado".

António Parada refere haver uma "onda de assaltos" no concelho "ao ponto dos comerciantes quererem contratar um guarda-noturno para impedir a ocorrência de mais".

Segundo António Parada, presença da Polícia Municipal contribuiria "para um aumento do sentimento de segurança das populações", que considera ser "inexistente" atualmente.

"Há uma necessidade imperativa da CMM [Câmara Municipal de Matosinhos], junto da Polícia Municipal, promover um aumento exponencial do patrulhamento e vigilância noturna dos espaços atrás referenciados, bem como espaços de diversão noturna" considera o vereador.

O vereador defende ainda "políticas que resultem em mais iluminação noturna".

Contactada pela Lusa, a Câmara de Matosinhos não quis prestar declarações.

+ notícias: Política

Líder do PCP acusa Governo de legalizar o tráfico de influência

O líder do PCP acusou este sábado o Governo de aprovar um conjunto de medidas de combate à corrupção que, na prática, legaliza o tráfico de influências, e insistiu no aumento imediato de todos os salários.

Reuniões com sindicatos médicos adiadas por agenda e colaboração com Finanças

O Ministério da Saúde esclareceu este sábado que as reuniões com sindicatos médicos foram adiadas devido a alterações na agenda da ministra e pelo trabalho que está a ser feito em colaboração com o Ministério das Finanças.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.