Já há data para demolição de bairro em Gondomar

Já há data para demolição de bairro em Gondomar
| Norte
Porto Canal

A demolição do bairro da Triana, em Rio Tinto, Gondomar, vai arrancar já no próximo ano. A notícia é avançada na edição desta segunda-feira do Jornal de Notícias, que fala de um projeto de reabilitação profundo naquela zona e que terá o mote de saída no lançamento da primeira pedra do novo centro de saúde de Rio Tinto, numa cerimónia que terá lugar já esta terça-feira.

Construído nos anos 90, durante o mandato de Valentim Loureiro, o bairro da Triana contava inicialmente com 25 casas, 15 das quais se mantêm à data habitadas. De acordo com o JN, as restantes encontram-se vazias e vandalizadas, com o atual presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, a afirmar ao jornal que tem consciência que “o processo não será fácil” mas que ainda assim “decisivo para todo aquele território”. O edil gondomarense espera que este seja um incentivo para “mais requalificações de privados”.

A intervenção, que se irá estender a todo a área do bairro - da Calçada das Pedreiras e a Travessa do Rio até aos terrenos adjacentes à capela mortuária do cemitério número dois -, vai traduzir-se, segundo o JN, num empreendimento municipal com 96 habitações sociais.

Marco Martins estima que o novo complexo esteja pronto entre 2026 e 2027, com a empreitada de 20 milhões de euros a ser financiada entre 75 a 85% pelo Programa de Recuperação e Resiliência (PRR). Os 96 fogos serão de tipologia T1, T2 e T3.

+ notícias: Norte

Túnel fechado há quase um ano em Braga reabre ao trânsito em julho

O túnel da Avenida da Liberdade, em Braga, vai reabrir em julho ao trânsito automóvel.

Póvoa Arena abriu portas ao público durante obras

A Póvoa Arena, na Póvoa de Varzim, abriu portas para ser conhecida por toda a população durante o fim de semana, na celebração do 50º. aniversário de elevação da Póvoa de Varzim a cidade. A arena ainda se encontra em obras e o projeto foi conhecido pela população.

Rede Elétrica Nacional defende "especial urgência" de linha de alta tensão no Alto Minho

A Rede Elétrica Nacional (REN) defendeu em tribunal a “especial urgência” da linha de Alta Tensão Ponte de Lima-Fontefria (Galiza), contestada por autarcas do Alto Minho, nomeadamente para uma “redução e convergência de preços” no mercado ibérico.