CCDR-N confiante na conclusão do projeto de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo

CCDR-N confiante na conclusão do projeto de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo
| Norte
Porto Canal / Agências

O presidente da Comissão de Coordenação Regional e Desenvolvimento (CCDR) do Norte, António Cunha, revelou esta quinta-feira à Lusa estar confiante e moderadamente otimista sobre a conclusão do projeto de ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo em 2032.

António Cunha falava após ter participado na reunião entre o ministro das Infraestruturas e Habitação, Miguel Pinto Luz, e o Presidente da Xunta de Galicia, Alfonso Rueda, que decorreu em Lisboa e de onde retirou resultados positivos, disse.

“No contexto dos novos investimentos anunciados pelo Governo foi reiterada pelo ministro Pinto Luz a prioridade do investimento da ligação Lisboa-Porto-Vigo e isso é algo que nos deixa mais sossegados”, acrescentou o dirigente da CCDR-N.

E prosseguiu: “o importante é que [sobre] estes dois processos, que são muito importantes para Portugal – quer na ligação entre Lisboa e Madrid quer a ligação entre Lisboa, Porto e Vigo, sendo que para o Norte e Galiza a segunda é absolutamente estrutural – foi dito e anunciado pelo Governo que continua a ser uma prioridade, que foram reafirmadas as datas para a sua execução e que estão a ser feitos os desenvolvimentos do lado português e espanhol”.

Sobre o projeto Lisboa-Porto-Vigo, apontado para estar pronto em 2032, António Cunha lembrou que o lado português “exige mais investimento, pois [enquanto] do lado galego é apenas a ligação entre Vigo e a fronteira”, o lado português implica “a ligação entre o Porto, aeroporto Sá Carneiro, Braga e Valença, uma distância maior, [tal como] o esforço financeiro”.

A ligação Lisboa-Vigo irá completar-se em cerca de duas horas, concretizando o objetivo da União Europeia para a mobilidade inteligente e sustentável que visa duplicar o tráfego ferroviário de passageiros de alta velocidade.

Questionado se os valores com que o Governo está a trabalhar são os “sete ou oito milhões e euros de investimento previstos pelo anterior executivo”, o líder nortenho revelou: “o que é conhecido e foi reiterado é que vão entrar em fase de contratação dos projetos de engenharia finais para estas ligações. Só com base nisso haverá os valores finais e poderão ser corrigidos. É evidente que podem ser corrigidos”.

“Foi muito importante ver a determinação com que o Governo anuncia estes projetos e, portanto, isso dá-nos uma confiança muito grande e, tal como foi dito pelo ministro Pinto Luz, é um projeto que tem um grande consenso nacional. É um projeto para quase uma década, estamos a falar de algo a oito anos de distância (…) mas que tendo um grande consenso político nos deixa confiantes”, continuou António Cunha.

Todavia, para o responsável, o “otimismo, aqui, é sempre moderado porque são projetos extremamente ambiciosos e difíceis e haverá imensas dificuldades pelo caminho”.

A ligação do Porto a Vigo, na Galiza (Espanha), para depois de 2030, terá estações no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Braga, Ponte de Lima e Valença (distrito de Viana do Castelo).

No total, segundo o anterior Governo, os custos do investimento no eixo Lisboa-Valença rondam os sete a oito mil milhões de euros.

+ notícias: Norte

Tempo vai mudar. Descida de temperatura e chuva de regresso

“Instabilidade meteorológica”. É assim que o Meteored, uma das maiores plataformas de informação meteorológica a nível mundial, define os próximos dias na região Norte, com episódios de chuva e variações de temperatura que vão marcar o arranque da época balnear.

Duas irmãs detidas por suspeitas de introduzirem droga na cadeia de Braga

A Polícia Judiciária (PJ) deteve duas irmãs suspeitas de introduzirem droga no Estabelecimento Prisional de Braga (EPB), durante as visitas aos seus companheiros, anunciou hoje aquela força.

Urgência de pediatria do hospital de Chaves fechada este fim-de-semana

O Ministério da Saúde publicou esta sexta-feira no portal do Serviço Nacional de Saúde o mapa das escalas de urgências até à próxima quinta-feira, que prevê o fecho de vários serviços em Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Norte.