FC Porto: Salto para a eternidade

FC Porto: Salto para a eternidade
| Desporto
Porto Canal

O FC Porto venceu a Liga Europa em Dublin há 13 anos.

Venceremos, venceremos,

Venceremos outra vez.

O Porto vai ganhar a taça,

Como em 2003.

O cântico começou a ser entoado durante os primeiros passos da caminhada europeia e a sua mensagem confirmou-se a 18 de maio de 2011, em Dublin. Quase oito anos depois de Sevilha, o FC Porto voltava a conquistar a Liga Europa e somava o sétimo troféu internacional. Foi a última vez que uma equipa portuguesa venceu uma prova da UEFA.

A temporada anterior tinha sido desapontante, mas os túneis que conduziram o FC Porto ao terceiro lugar do campeonato deram-lhe a oportunidade de regressar a uma competição em que tinha reais possibilidades de sucesso, mesmo não sendo favorito. André Villas-Boas, que 13 anos mais tarde viria a ser eleito para liderar o clube, foi a escolha de Jorge Nuno Pinto da Costa para enfrentar este desafio.

O percurso até à capital da Irlanda foi quase imaculado. Começou na Bélgica, com uma pré-eliminatória frente ao Genk dos jovens Thibaut Courtois e Kevin de Bruyne (7-2 no conjunto das duas mãos). Prosseguiu com quatro vitórias, um empate e o primeiro lugar no grupo L, à frente de Besiktas, Rapid de Viena e CSKA de Sófia – é inesquecível o triunfo por 3-1 na Áustria, sobre a neve que cobria o relvado do estádio do Prater.

A partir dos 16 avos de final caíram o Sevilha (com um agregado de 2-2 desempatado pela vantagem nos golos marcados fora), CSKA de Moscovo (3-1), Spartak de Moscovo (10-3) e Villarreal (8-3). A primeira mão das meias-finais, no Estádio do Dragão, foi um dos momentos mais marcantes desta epopeia: ao intervalo, os espanhóis venciam por 1-0; na segunda parte, Falcao marcou quatro golos, Guarín juntou-lhe outro e o passaporte para Dublin ficou praticamente carimbado.

Na cidade que já deu ao mundo três prémios Nobel da Literatura, onde também nasceram Oscar Wilde e James Joyce e que é o local de origem dos U2, André Villas-Boas deu um salto para eternidade. Numa final inédita entre clubes portugueses, pela frente estava o Braga de Domingos Paciência, ídolo da infância do treinador azul e branco e goleador histórico do FC Porto. O jogo foi mais difícil do que os anteriores, os intervenientes até reconheceram que não foi bonito, mas só uma coisa importava verdadeiramente: ganhar. E o FC Porto ganhou.

A vitória por 1-0 foi construída com um cabeceamento de Falcao na sequência de um cruzamento de Guarín – e, também, com uma excelente defesa de Helton quando Mossoró lhe apareceu pela frente isolado. O avançado colombiano somou o 18.º golo na competição (incluindo o play-off) e alcançou um recorde que ainda não foi superado. André Villas-Boas estabeleceu outro registo histórico: aos 33 anos e 212 dias de idade, tornou-se o treinador mais jovem de sempre a vencer uma competição europeia.

Na Liga Europa de 2010/11 participaram várias grandes equipas, como o Atlético de Madrid – que ganhou a prova na época anterior e voltaria a conquistá-la na temporada seguinte –, a Juventus, o Liverpool ou o Manchester City – já com investimentos milionários. Teoricamente, todas dispunham de mais condições do que o FC Porto para chegar a Dublin e erguer os 15 quilos de prata e mármore de que é feito o troféu da Liga Europa. Mas nenhuma revelou mais qualidade, ambição e resiliência do que um clube centenário habituado derrubar obstáculos, superar expectativas e pôr nas bocas do mundo a cidade que deu nome a Portugal.

+ notícias: Desporto

Euro2024. Prenda austríaca dita triunfo 'suado' da França na estreia 

A França começou esta segunda-feira com um triunfo a sua participação no Campeonato da Europa de futebol de 2024, ao vencer a Áustria por 1-0, graças a um autogolo, em encontro do Grupo D, disputado em Dusseldorf, na Alemanha.

Tenista portuense triste pela derrota, mas orgulhoso pelo trajeto até à final no challenger de Bratislava

O tenista português Henrique Rocha confessou hoje ter ficado “triste” pela derrota na final do challenger de Bratislava, mas assegura estar “feliz” pelo torneio que fez na terra batida eslovaca, antes de iniciar a preparação para Wimbledon.

Pinto da Costa diz que "o campeonato se decidiu em três sítios"

Jorge Nuno Pinto da Costa diz que há três jogos que definem o campeonato deste ano. O presidente do FC Porto falou esta segunda-feira ao Jornal 'O Jogo'.