Quando Artur Jorge e Mourinho se encontraram

Quando Artur Jorge e Mourinho se encontraram
| Desporto
Porto Canal

Que momento histórico do futebol português aconteceu a 28 de abril de 2003? À primeira vista, nenhum. Na realidade, foi esse o dia em que os únicos portugueses que se sagraram campeões europeus de clubes se enfrentaram pela primeira e última vez. Foi num empate entre o FC Porto e a Académica num jogo realizado no Estádio Sérgio Conceição, em Coimbra.

Artur Jorge e Mourinho viviam fases bem distintas das carreiras. 16 anos depois de ter sido campeão europeu pelo FC Porto, o Rei Artur dirigia um clube que representara enquanto jogador e que passava por sérias dificuldades. À 15.ª jornada, antes de o mítico treinador pegar na equipa pro bono, a Académica ocupava a penúltima posição do campeonato e estava em sério risco de ser despromovida. Já Mourinho desfrutava da primeira temporada completa ao serviço do FC Porto e estava a caminho de alcançar os primeiros grandes feitos como técnico ao vencer a Taça UEFA, a Liga portuguesa e a Taça de Portugal de 2002/03. A 28 de abril, a Académica continuava na luta para não descer, enquanto os Dragões já estavam qualificados para as finais da Taça UEFA e da Taça de Portugal e estavam prestes a fechar a conquista do campeonato.

A pouco mais de um ano da realização do Euro 2004 em Portugal, o Estádio Municipal de Coimbra estava a ser reconstruído e a Académica jogava em Taveiro, no recinto batizado com o nome do atual treinador do FC Porto. A apitar o encontro estava Pedro Proença, hoje presidente da Liga de clubes.

As crónicas são unânimes: o FC Porto foi melhor do princípio ao fim e construiu inúmeras oportunidades de golo, mas pela frente encontrou um Pedro Roma quase intransponível – terão sido sete, pelo menos, as defesas com elevado grau de dificuldade. A Académica colocou-se em vantagem ao minuto 35, com um cabeceamento certeiro de Raul Oliveira ao segundo poste, enquanto os Dragões só conseguiram marcar a 18 do fim, quando Derlei cabeceou na sequência de um cruzamento de Deco. Mourinho foi expulso ao minuto 90, por protestar a anulação de um golo do Ninja, e os estudantes aguentaram o ponto até ao fim – acabariam mesmo por garantir a permanência na última jornada.

Um ano e um mês depois, o FC Porto bateu o Mónaco por 3-0 na final da Liga dos Campeões e Mourinho tornou-se o segundo treinador português a sagrar-se campeão europeu de clubes. O primeiro, Artur Jorge, aproximava-se do ocaso da carreira e já estava votado a um injusto esquecimento. Naquela noite, em Coimbra, os dois cruzaram-se pela única vez nos relvados. Ninguém podia sabê-lo, mas a 29.ª jornada da liga de 2002/03 viria a adquirir um significado simbólico muito especial para a história do futebol.

+ notícias: Desporto

FC Porto: 20 vezes Porto. Crónica de jogo

Dragões bateram o Sporting (2-1) e conquistaram a 20.ª Taça de Portugal do palmarés.

André Villas-Boas: "É uma grande vitória para toda a massa associativa"

Em declarações ao Porto Canal no final da partida, o presidente do FC Porto destacou que ao longo da prova a equipa dos Dragões demonstrou toda a sua força, foi coerente e jogou bem, realçando ainda a importância desta vitória e da conquista do troféu na despedida ao Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa

Sérgio Conceição: "É um título importante. Somos sempre um clube competitivo e ganhador"

Em declarações ao Porto Canal no final da partida, Sérgio Conceição mostrou-se feliz com a conquista dos 'Dragões', frisando que "este é um título importante", depois de uma época que classificou de "difícil".