Funcionário da Câmara de Guimarães acusado de peculato e de falsificação

Funcionário da Câmara de Guimarães acusado de peculato e de falsificação
| Norte
Porto Canal / Agências

O Ministério Público (MP) acusou um funcionário da Câmara de Guimarães de peculato e de falsificação de documentos por ter ficado com 451 euros de utentes, anunciou esta segunda-feira a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

“O Ministério Público considerou indiciado que o arguido, assistente técnico a exercer funções no Centro de Recolha Oficial de Guimarães, de janeiro de 2017 a janeiro de 2018, ficou para si com diversas quantias entregues por utentes para pagamento de serviços prestados por aquele Centro” no valor total de 451,28 euros, refere a PGDP.

Em nota publicada na sua página da internet, a PGDP indica que ficou igualmente indiciado que o arguido emitiu recibos falsos.

“Em duas situações, porque lhe tivesse sido pedido comprovativo do pagamento, o arguido fez emitir documento ‘factura/recibo’ por si fabricado fora da aplicação de emissão de faturas do Centro, aparentando que fizera constar e registara o pagamento na contabilidade do serviço”, sustenta o MP.

O arguido está acusado de peculato na forma continuada e de três crimes de falsificação de documentos.

O despacho de acusação, a cargo do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Braga, foi proferido em 02 de fevereiro.

+ notícias: Norte

Pulseira eletrónica para acusado de violência sobre companheira em Moncorvo

O Tribunal de Torre de Moncorvo, nos distrito de Bragança, decretou como medida de coação o uso de pulseira eletrónica a homem de 30 anos, acusado de violência domeética, indicou a GNR, esta segunda-feira.

Guimarães quer criar polo tecnológico no setor espacial 

A cidade de Guimarães vai implementar um plano estratégico para a criação de um ‘Space Hub’, um polo tecnológico que visa a promoção do setor espacial, nomeadamente das tecnologias relacionadas com o ‘Novo Espaço’ (New Space).

Ribau Esteves satisfeito com lota mas quer transferência sem custos

O presidente da Câmara de Aveiro elogiou o ministro das Finanças, esta segunda-feira, por ter “desbloqueado” a transferência para o município da antiga lota, mas anunciou que vai tentar junto do próximo Governo que seja feita sem custos.