Ambientalistas pedem a Marcelo que faça cumprir a Lei de Bases do Clima que ainda não saiu do papel 

Ambientalistas pedem a Marcelo que faça cumprir a Lei de Bases do Clima que ainda não saiu do papel 
| Norte
Porto Canal/Agências

Um conjunto de associações ambientalistas pediu esta terça-feira ao Presidente da República Portuguesa que faça cumprir a Lei de Bases do Clima, aprovada no final de 2021, mas ainda sem qualquer artigo respeitado.

A “inação do Estado português é especialmente reprovável num momento de evidente agravamento da urgência climática”, avisam as 13 associações ambientalistas numa carta a Marcelo Rebelo de Sousa, a que a agência Lusa teve acesso.

“A Lei de Bases do Clima constitui na esfera jurídica do Estado várias obrigações positivas cujo cumprimento é absolutamente fundamental para o sucesso da ação climática em Portugal”, consideram os ambientalistas, que acusam o Estado de não cumprir uma legislação que ele próprio aprovou.

Em causa está o atraso na publicação de várias medidas, que deveriam ter sido concluídas até fevereiro de 2023, como a “criação de orçamentos de carbono, os quais deverão orientar a política e a economia nacionais”, a “criação do Portal da Ação Climática”, um “Relatório de Avaliação do Impacto Climático da Legislação Vigente”, uma análise sobre o património público, do “risco climático dos ativos financeiros” ou a “revisão do regime jurídico dos hidrocarbonetos”, entre outras questões.

“Até à data, nenhum destes instrumentos foi criado, o que coloca o Estado português em efetivo incumprimento dos deveres de execução resultantes da Lei de Bases”, avisam os ambientalistas.

A ausência de planos setoriais para aplicar a lei de bases é outra das críticas feitas pelas associações, que pedem ao Presidente uma “intervenção junto do Governo e da Assembleia da República” sobre este tema.

“A falta de execução da Lei de Bases do Clima constitui, não só uma falha do Estado de Direito e da democracia representativa, como uma violação dos direitos fundamentais dos cidadãos portugueses”, pode ler-se na carta dirigida a Marcelo Rebelo de Sousa.

A carta é assinada pela Associação Último Recurso; Academia Cidadã; Ambiente em Zonas Uraníferas (AZU); Associação de Defesa do Património, Ambiental e Cultural de Santa Iria da Azóia (ADPAC); Associação Dunas Livres; Climação Centro; Extinction Rebellion; Movimento PELO TEJO (Protejo); Plataforma Anti-Transporte de Animais Vivos (PATAV); Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza); Rede para o Decrescimento; Associação de Ciências Marinhas e Cooperação (SCIAENA)) e SOS Racismo Porto.

+ notícias: Norte

Portão de armazém do Pingo Doce cai em cima de trabalhador de Barcelos hospitalizado em estado grave

Um homem foi hospitalizado em estado grave na noite desta terça-feira após ter sido atingido por um portão do armazém do Pingo Doce de Barcelos, adiantou fonte dos bombeiros locais. Além deste ferido, também uma mulher sofreu ferimentos ligeiros.

Saiba quais foram os restaurantes do Norte que receberam estrela Michelin

O restaurante Antiqvvum no Porto foi a 'estrela da noite' com a atribuição da segunda estrela do guia Michelin, mas não foi o único a ser premiado esta terça-feira na região Norte. Quatro estabelecimentos do Porto mantiveram níveis de excelência.

Projeto "Ligue antes, salve Vidas" alargado à ULS de Gaia/Espinho e Entre Douro e Vouga

O projeto piloto "Ligue antes, salve Vidas" vai ser alargado à Unidade Local de Saúde de Gaia/Espinho e à Unidade Local de Saúde de Entre Douro e Vouga, indica uma portaria publicada em Diário da República esta terça-feira.