Parque de campismo de Cortegaça está sem luz há dois meses. Situação revolta campistas

| Norte
Catarina Cunha

Em tempos foi um paraíso à beira-mar plantado, mas, neste momento, o parque de campismo de Cortegaça, em Ovar, é um espaço sem condições de vida para os poucos residentes e as centenas de campistas, que lá residem, uma vez que, há cerca de dois meses, se encontra sem eletricidade.

No mês de maio, a água também chegou a faltar, durante alguns dias.

Atualmente, o espaço é gerido por uma administração provisória, que foi nomeada pelo Tribunal.

“Houve um processo em Tribunal durante dez anos com os antigos concessionários do parque de campismo - Clube Campismo de Caravanismo os Nortenhos - que terminou em janeiro (…), mas nesses dez anos o Tribunal nomeou um administrador judicial [para gerir o espaço]”, explica ao Porto Canal, o Presidente da Junta de Freguesia de Cortegaça.

Segundo Sérgio Vicente, a situação atual do campismo deve-se ao facto de a entidade gestora não ter dinheiro para pagar as despesas, devido ao aumento dos preços de energia e das baixas mensalidades (muitas delas estão abaixo dos 100 euros) que cobra aos campistas.

Agora, no final dos 10 anos, a gestão vai passar para a Junta de Freguesia, algo que ainda não ocorreu porque a atual administração pediu o alargamento do prazo “para resolver questões fiscais e dos trabalhadores”, antes de passar a pasta.

A junta local garante que “enquanto o prazo de aviso prévio aos trabalhadores não terminar, não podemos assumir a gestão” e por isso não podem resolver o problema de abastecimento de luz.

“Não fomos nós que fizemos a dívida, as faturas não estão no nome da Junta, estão no nome da empresa. Por isso, é que a Junta não as pode pagar e acredite que já tentamos negociar, até com o argumento que eles pagaríam por prestações e depois nós quando assumíssemos [a gestão] pagaríamos o restante dos créditos e dos débitos, mas nem isso foi possível”, reforça Sérgio Vicente.

O Presidente da Junta compreende a revolta dos campistas, contudo acredita que só depois do verão é que a luz vai voltar. “Eventualmente, não se resolverá este verão, mas muito sinceramente prefiro defender o direito dos trabalhadores [da empresa gestora], do que as férias dos utentes do parque. Se não podem fazer férias neste verão, terão que procurar outro sítio”, acrescenta.

O mês de setembro é a data estimada para a Junta de Freguesia tornar-se a gestora do parque de campismo de Cortegaça.

O Porto Canal esteve no local, mas ficou à porta, uma vez que não teve autorização para entrar. Os campistas com quem esbarramos na entrada dizem estar revoltados com as condições em que vivem e tristes por terem que repensar num plano, caso a situação perdure no tempo. Se assim for, as memórias de uma vida irão desvanecer.

“Eles agora meteram aí um gerador e numa casa de banho há luz .E há água em todas as casas de banho, de resto nas rulotes e nas ruas não há luz nenhuma”, relata o campista António Fortunato, que frequenta o espaço, sazonalmente, há 19 anos.

Entretanto, encontramo-nos com um jovem que saía para mais um dia de trabalho como nadador-salvador na praia de Cortegaça. David, disse-nos com a voz embargada que há 20 anos que vive no parque de campismo e que desde 10 de junho - dia em que chegou ao campismo - sobrevive com o básico.

“Por exemplo, as refeições são à base de arroz, atum, salsichas. Às vezes, vou comprar carne durante o dia para fazer para o jantar. Para carregar os telemóveis, tem que ser nos cafés quando estou a trabalhar, ou nas power banks. Depois, é aproveitar o máximo de luz que consigo. À noite já não se faz nada, fica-se na tenda”, refere o jovem.

Ambos os campistas acreditam que a situação vai danificar a imagem de Cortegaça. “Acho muito mau porque este parque era o que dava a vida a esta vila e até acho que fica mal visto estar sem luz, porque é uma coisa muito simbólica para certas pessoas”, disse David com os olhos cheios de água.

 

+ notícias: Norte

Tempo vai mudar. Descida de temperatura e chuva de regresso

“Instabilidade meteorológica”. É assim que o Meteored, uma das maiores plataformas de informação meteorológica a nível mundial, define os próximos dias na região Norte, com episódios de chuva e variações de temperatura que vão marcar o arranque da época balnear.

Duas irmãs detidas por suspeitas de introduzirem droga na cadeia de Braga

A Polícia Judiciária (PJ) deteve duas irmãs suspeitas de introduzirem droga no Estabelecimento Prisional de Braga (EPB), durante as visitas aos seus companheiros, anunciou hoje aquela força.

Urgência de pediatria do hospital de Chaves fechada este fim-de-semana

O Ministério da Saúde publicou esta sexta-feira no portal do Serviço Nacional de Saúde o mapa das escalas de urgências até à próxima quinta-feira, que prevê o fecho de vários serviços em Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Norte.