Frederico Pinheiro vai entregar telemóvel à PJ para recuperação de mensagens apagadas pelo Ministério

Frederico Pinheiro vai entregar telemóvel à PJ para recuperação de mensagens apagadas pelo Ministério
| Política
Porto Canal / Agências

O ex-adjunto do ministro das Infraestruturas, Frederico Pinheiro, concordou esta quarta-feira entregar o telemóvel de serviço à Polícia Judiciária (PJ), para tentar recuperar mensagens apagadas no âmbito de uma intervenção que disse ter sido pedida pela chefe de gabinete.

A concordância foi dada por Frederico Pinheiro, na comissão parlamentar de inquérito à TAP, após sugestão do Chega, que entendeu que o telemóvel, “cujos elementos foram apagados, é um elemento decisivo para o apuramento da verdade”.

“Penso que face à centralidade do documento [eletrónico] e da possibilidade da PJ, através do seu centro informático, recuperar algumas das mensagens, […] seria decisivo para o apuramento da verdade” deixar o telemóvel com a comissão de inquérito ou com a PJ com a assinatura da CPI, sugeriu André Ventura.

Frederico Pinheiro lembrou que o telemóvel não é seu e que está a aguardar agendamento para entrega do equipamento ao Estado.

“O telemóvel foi formatado por mim, até porque continha informação classificada e que, de imediato, obviamente, fui apagando do meu telemóvel após o meu afastamento do Ministério das Infraestruturas”, referiu Frederico Pinheiro.

O presidente da comissão de inquérito, António Lacerda Sales, explicou que, para que a comissão ficasse com o telemóvel, seria necessário comunicar aos órgãos de polícia criminal para recolher o equipamento, a menos que o ex-adjunto entendesse entregá-lo à polícia, sob assinatura da comissão de inquérito.

Frederico Pinheiro, depois de conferenciar com o seu advogado João Nabais, acabou por concordar com esta sugestão.

“Fica então assim definido”, respondeu Lacerda Sales.

+ notícias: Política

Secretário-geral do PS manifesta "muita preocupação" com posição de Aguiar-Branco

O secretário-geral do Partido Socialista (PS), Pedro Nuno Santos, manifestou este sábado “muita preocupação” com a posição assumida pelo presidente da Assembleia da República (AR), José Aguiar-Branco (PSD), quanto ao que considera ser “um discurso xenófobo” do líder do Chega.

SOS Racismo diz que Aguiar-Branco não tem condições para manter presidência da AR

A associação SOS Racismo defendeu esta sexta-feira que o presidente da Assembleia da República não tem condições para continuar no cargo, depois de ter afirmado que o uso de linguagem que qualifica raças depreciativamente é admissível pela liberdade de expressão.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.