TAP: PSD pede audição de advogado Jorge Bleck na comissão de inquérito

TAP: PSD pede audição de advogado Jorge Bleck na comissão de inquérito
Vieira de Almeida
| Política
Porto Canal/Agências

O PSD requereu esta quinta-feira a audição do advogado Jorge Bleck na comissão de inquérito à TAP devido ao alegado pedido do Governo para prestação de serviços jurídicos para “dar sequência às conclusões do parecer da IGF relativamente à CEO”.

Segundo informação à agência Lusa, o PSD apresentou esta quinta-feira sete requerimentos no âmbito da comissão de inquérito à TAP, sendo pedidas “informações sobre alegada prospeção e ou adjudicação a escritórios de advogados para auxiliar no processo de despedimento de Christine Ourmières-Widener e Manuel Beja, informações sobre a tramitação processual do despedimento e sobre se houve recusa por parte do ministro João Galamba em homologar o despacho oriundo da DGTF e Parpública”.

Num dos requerimentos, o PSD pede a audição de Jorge Bleck, advogado e sócio do escritório Vieira de Almeida, “considerando as notícias veiculadas pelo Jornal Económico, refutadas pelo Ministério das Finanças, a propósito de uma alegada solicitação da parte do Governo para aquisição de serviços jurídicos para dar sequência ao parecer da IGF relativamente à CEO”.

Em causa a notícia de 17 de março, cuja ligação surge no documento do PSD, segundo a qual o “Ministério das Finanças contactou a Vieira de Almeida & Associados para prestar serviços jurídicos relacionados com as conclusões do parecer da IGF que foram invocadas pelo Governo para demitir a CEO da TAP, disse ao Jornal Económico o advogado Jorge Bleck, sócio do escritório”.

“Esta confirmação por parte do advogado contraria, aparentemente, aquela que tem sido a posição do ministro das Finanças, Fernando Medina, que esta semana procurou desmentir a notícia, avançada pelo JE, de que o Governo pediu o apoio de advogados externos”, referia a mesma notícia.

Na sequência da mesma notícia, o PSD pergunta ao Ministério das Finanças se solicitou “aconselhamento jurídico externo para auxiliar no processo de despedimento por justa causa da CEO da TAP e do presidente do Conselho de Administração da TAP".

“Em caso afirmativo, foi adjudicado o respetivo aconselhamento jurídico? A quem? Qual o caderno de encargos associado?”, pergunta ainda.

O PSD volta à questão do “desconhecimento sobre se existe ou não um parecer jurídico que sustente o despedimento por justa causa” dois ex-presidentes da companhia aérea, referindo que recentes notícias “dão conta da existência de um despacho conjunto da DGTF e da Parpública” que “terá sido homologado pelo Ministro das Finanças, mas não pelo Ministro das Infraestruturas”.

Os sociais-democratas pedem assim a ambas as tutelas os documentos relativos à “tramitação da decisão do despedimento de Christine Widener e Manuel Beja” e se o Governo confirma a existência de um despacho assinado pela DGTF e pela Parpública, relativo ao processo de despedimento”, pedindo que este seja enviado à comissão de inquérito caso exista.

+ notícias: Política

Líder do PCP acusa Governo de legalizar o tráfico de influência

O líder do PCP acusou este sábado o Governo de aprovar um conjunto de medidas de combate à corrupção que, na prática, legaliza o tráfico de influências, e insistiu no aumento imediato de todos os salários.

Reuniões com sindicatos médicos adiadas por agenda e colaboração com Finanças

O Ministério da Saúde esclareceu este sábado que as reuniões com sindicatos médicos foram adiadas devido a alterações na agenda da ministra e pelo trabalho que está a ser feito em colaboração com o Ministério das Finanças.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.