Alargamento da via férrea entre Contumil e Ermesinde arranca em 2024

| Norte
Porto Canal

O autarca de Gondomar, Marco Martins, confirma que a obra de alargamento da via férrea entre Contumil e Ermesinde vai avançar em 2024.

O alargamento do troço, para quatro vias, vai obrigar a demolir 90 edifícios, sendo que cerca de 20 estão habitados, e a prevê, ainda, a remodelação da Estação de Rio Tinto.

O estudo de impacto ambiental para o alargamento da via férrea entre Contumil e Ermesinde está em discussão pública até maio.

De acordo com o estudo, há por exemplo edifícios afetados na Rua da Ranha e na Rua das Perlinhas, em Gondomar.

A autarquia está confiante de que a intervenção vai favorecer a população, que há muito vinha a exigir o alargamento da linha ferroviária do Minho.

Atualmente, a circulação é feita apenas por duas vias, o que tem causado constrangimentos aos passageiros com sucessivas supressões e atrasos nos comboios.

O projeto prevê ainda a construção de novas vias, passagens pedonais e rodoviárias em diferentes zonas da via férrea.

A empreitada entre Contumil e Ermesinde tem para já a duração prevista de 3 anos e meio e vai custar quase 130 milhões de euros, ao abrigo do Plano Nacional de Investimentos 2030.

A IP prevê lançar o concurso ainda no final deste ano, para que a obra possa arrancar no segundo semestre de 2024.

+ notícias: Norte

CCDR-N confiante na conclusão do projeto de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo

O presidente da Comissão de Coordenação Regional e Desenvolvimento (CCDR) do Norte, António Cunha, revelou esta quinta-feira à Lusa estar confiante e moderadamente otimista sobre a conclusão do projeto de ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo em 2032.

Carros descem escadas e caem ao rio. Aconteceu tudo numa manhã em Cabeceiras de Basto

Foram dois os automóveis que acabaram em sítios “pouco habituais” em Cabeceiras de Basto, na manhã de quarta-feira, escreve a página “Soldados da Paz” na rede social Instagram. A conta de apoio aos bombeiros partilhou imagens de duas ocorrências “sem feridos a registar”.

Circulação retomada na EN13 em Caminha duas horas após colisão rodoviária

A circulação rodoviária na Estrada Nacional (EN) 13 foi retomada cerca das 13h00, duas horas após uma colisão entre dois veículos ligeiros na freguesia de Moledo e Cristelo, em Caminha, que causou seis feridos ligeiros, revelou a GNR.