Oficiais de justiça em greve parcial em vários tribunais do continente e ilhas

Oficiais de justiça em greve parcial em vários tribunais do continente e ilhas
| País
Porto Canal / Agências

Oficiais de Justiça vão estar esta terça-feira em greve nos tribunais judiciais de Lisboa, Porto e Ponta Delgada, entre as 9h e as 12h30, por questões ligadas à carreira, aposentação, preenchimento de lugares e Estatuto profissional.

A greve, convocada pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ), decorrerá também na quinta-feira durante o período da tarde (13:30-17:00) nos núcleos judiciais de Coimbra, Funchal e Almada.

De acordo com o sindicato (SOJ), em ambos os períodos de greve estão agendadas centenas de diligências, envolvendo mais de mil intervenientes processuais.

O preenchimento integral de lugares vagos, a abertura de concurso para promoção e acesso a todas as categorias cujos lugares se encontrem vagos, a inclusão no vencimento do suplemento de recuperação processual com efeitos a 01 de janeiro de 2021, a regulamentação da pré-aposentação e do regime específico de aposentação e a apresentação de uma proposta de revisão do Estatuto que dignifique a profissão são as reivindicações deste sindicato, que promete continuar a luta em defesa dos interesses dos oficiais de justiça.

+ notícias: País

Relatório sobre abusos na Igreja será divulgado em fevereiro de 2023

O relatório da Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa vai ser apresentado no próximo dia 16 de fevereiro, às 10h00, em Lisboa, adiantou o coordenador Pedro Strecht.

Madeira emite recomendações por previsões de forte precipitação

O Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira emitiu este sábado um conjunto de recomendações à população face às previsões meteorológicas previstas que colocam o arquipélago sob aviso laranja para precipitação forte.

35.295 euros apreendidos em operação de combate ao jogo ilícito pela ASAE

Nestas operações foram instaurados dois processos-crime por exploração de jogos sem autorização. Operações foram realizadas no concelho de Murtosa e Vale da Cambra.