A cidade da porta aberta. Braga tornou-se “o céu do mundo” para milhares de brasileiros

| Norte
Porto Canal

Ao contrário de praticamente todas as cidades portuguesas, que de ano para ano têm vindo a perder habitantes, em Braga verifica-se um crescimento populacional de 6,5%. Os responsáveis pela inversão da tendência são os cidadãos brasileiros, que veem na cidade uma fuga à realidade difícil vivida no seu país. A autarquia de Braga estima que sejam já perto de 15 mil, ou seja, cerca de 7% da população total do concelho.

Braga tem sido, nos últimos anos, uma verdadeira “cidade da porta aberta”, capaz de atrair milhares de brasileiros com o sonho de morar na Europa. A procura por uma vida financeira mais confortável deixou de ser o único motivo para a imigração.

A realidade política do país (que tem eleições presidenciais daqui a menos de um mês), a falta de segurança e até a facilidade do trabalho à distância, trazida pela pandemia, tornaram-se fatores relevantes para a decisão de sair do Brasil.

200 anos depois de o Brasil se ter tornado independente, a história inverte-se. Agora, são os brasileiros que vêm à descoberta de Portugal. Liliane, Alexandra e Bárbara são os rostos dessa mudança e de uma reportagem Porto Canal, gravada entre São Paulo e Braga.

+ notícias: Norte

Incêndio em habitação faz quatro desalojados em Paços de Ferreira

Um incêndio deflagrou este domingo no sótão de uma habitação em Paços de Ferreira, no distrito do Porto, causando quatro desalojados, nomeadamente uma mãe e três filhos.

Implementação do Metro do Porto foi "processo de catequização"

O administrador dos Transportes Intermodais do Porto, Manuel Paulo Teixeira, disse que a equipa que lançou o Metro do Porto, da qual fez parte, fez "um processo de catequização" para convencer pessoas, autarcas a instituições.

Impedidos de entrar no Casino de Espinho agridem três PSP. Foram detidos

A polícia deteve três pessoas por injúrias e agressão contra três agentes da PSP que se encontravam ao serviço no casino de Espinho, este domingo.