Ucrânia: EUA anuncia nova ajuda militar no valor de 780 milhões de euros

| Mundo
Porto Canal / Agências

Washington, 01 jul 2022 (Lusa) -- Os EUA anunciaram hoje que vão fornecer à Ucrânia ajuda militar no valor global de 820 milhões de dólares (780 milhões de euros), que inclui novos sistemas de mísseis terra-ar e radares de contra-artilharia.

O Pentágono disse que também forneceria aos ucranianos até 150.000 cartuchos de munição de artilharia de 155 milímetros.

Este é o 14.º pacote de armas e equipamento militar transferidos para a Ucrânia desde agosto de 2021.

No total, os EUA forneceram mais de 8,8 mil milhões de dólares (8,4 mil milhões de euros) em armas e formação militar para a Ucrânia.

Como parte do novo pacote, os EUA comprarão dois sistemas conhecidos como NASAMS, um sistema antiaéreo desenvolvido pela Noruega que também é usado para proteger o espaço aéreo em redor da Casa Branca e do Capitólio, em Washington.

O Pentágono também fornecerá munição adicional para os sistemas de foguetes de médio alcance que forneceu à Ucrânia em junho, conhecidos como Sistemas de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade, ou HIMARS, na sigla em inglês.

A invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro, evoluiu para um impasse em que ambos os lados dependem fortemente da artilharia, segundo autoridades e analistas ocidentais.

Embora a Rússia não tenha alcançado os objetivos iniciais de derrubar o governo da Ucrânia, acredita-se que esteja a progredir lentamente para consolidar o controlo sobre a região leste da Ucrânia conhecida como Donbass.

A ofensiva militar russa já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

Essa operação bélica causou a fuga de mais de oito milhões de pessoas, das quais mais de 6,6 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

EL // RBF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Julho foi dos meses mais quentes jamais registados no mundo

O mês passado foi um dos julhos mais quentes jamais registados no mundo, indicou, esta terça-feira, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Genebra.

China detecta 35 casos humanos de um novo vírus de origem animal

Um estudo científico revelou a deteção em duas províncias da China de 35 infeções em seres humanos de um novo vírus de origem animal, da família dos Henipavírus, informou esta terça-feira a imprensa estatal do país asiático.

Fornecimento de petróleo russo via Ucrânia foi interrompido

As entregas de petróleo russo a três países europeus através da Ucrânia foram interrompidas após a recusa de uma transação bancária ligada às sanções contra Moscovo, anunciou hoje a empresa russa responsável pelo transporte.